BASF
025

Aprobio e Ubrabio: a luta pela relevância


Edição de Out / Nov de 2011 - 22 dez 2011 - 11:11 - Última atualização em: 25 jan 2012 - 17:37

A discussão sobre a nova especificação do biodiesel está pelo menos um ano atrasada. A movimentação que vimos nos últimos meses deveria ter sido iniciada logo após o primeiro semestre de 2010, quando o problema da qualidade começou a se intensificar. A ANP promete iniciar a consulta pública em novembro, e é bastante provável que a partir dali seja consolidado o padrão do biocombustível que estará vigorando quando vier um provável B7.

Esse atraso é um sintoma da falta de ações efetivas por parte das usinas na promoção do desenvolvimento do mercado. O problema da especificação não é um caso isolado. Temos a introdução do biodiesel marítimo, por exemplo, que no final de 2009 foi postergado indefinidamente, sem que houvesse qualquer mobilização das usinas. Outros exemplos são consequências de reuniões do setor produtivo que raramente conseguiam atingir algum consenso, quando não eram simplesmente esvaziadas.

As ações, quando aconteciam, resultavam ineficientes. Isso já vinha acontecendo há cerca de dois anos.

Quando a Ubrabio rachou, à primeira vista parecia que o que já estava ruim ficaria pior. Como duas associações, Aprobio e Ubrabio, que em tese deveriam brigar pelos mesmos objetivos, poderiam ser melhores se separam as usinas? O fato é que nos meses seguintes à divisão, o setor viu uma mobilização inédita. As duas entidades, cada uma com sua estratégia, resolveram se mexer. Além de brigar por seus interesses, lutam pela própria relevância. A Ubrabio ainda não fez qualquer mudança em seu estatuto, uma necessidade que até os membros que ficaram entenderam ser necessária. Enquanto isso, a Aprobio ganha corpo e, mesmo mais jovem, já é mais representativa. Mas o que importa são os resultados práticos, e nesse ponto ainda será preciso aguardar para ver qual das duas se mostrará mais eficiente.

Agora não se espera das usinas apenas ações reativas, é preciso também trabalhar proativamente. O setor tem diversas questões que uma vez resolvidas ajudarão a todos. Como na maioria dos casos o setor produtivo é o maior interessado, as ações precisam partir dele. A começar pelos ineficientes releilões, cuja validade já expirou há muito tempo. E com um governo preocupado com a inflação, esta é uma briga ganha, mas que o setor produtivo precisa enfrentar.

Aniversário e mudanças

A revista BiodieselBR comemora com esta edição quatro anos de circulação. A responsabilidade de informar o setor é um privilégio que você leitor nos concedeu e que vamos continuar exercendo com qualidade e independência.

A BiodieselBR agradece o colunista Donato Aranda pela grande contribuição dada por seus textos nas colunas bimestrais desta revista. Agora ele deixa a publicação. O pesquisador esteve presente ao longo dos quatro anos engrandecendo a revista.  A partir desta edição os leitores passam a contar com uma coluna da Aprobio.

Julio Cesar Simczak Vedana
Diretor de Redação