013

Notas sobre biodiesel


BiodieselBR.com - 19 nov 2007 - 15:41 - Última atualização em: 19 dez 2011 - 17:33


Brasil Ecodiesel volta ao jogo

Antes considerada carta fora do baralho, a Brasil Ecodiesel agora retoma parte de suas operações, desta vez com mais dinheiro em caixa do que dívidas. A conclusão em agosto da reestruturação financeira e dos dois aumentos de capital permitiu à empresa recompor o capital de giro e fechar o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 21,7 milhões, depois de seis balanços seguidos no vermelho. Com isso, a empresa conseguiu produzir nos meses de junho e julho volumes próximos ao contratado nos leilões para o período. Daqui por diante algumas diretrizes serão diferentes. A empresa estuda vender usinas e arrendar as duas unidades de extração de óleo que nunca chegaram a funcionar. Mas o novo presidente, Mauro Cerchiari, terá ainda que resolver um grande problema: a possível perda do selo social, cujo processo tramita no MDA.


Explosão atinge usina em Cuiabá


Uma explosão seguida de incêndio atingiu a usina da Cooperbio em Cuiabá (MT) no final de agosto, matando um funcionário e deixando outros dois feridos. Este foi o segundo acidente em uma fábrica de biodiesel este ano. A hipótese é de curto-circuito na parte elétrica da unidade destinada ao preparo de catalisador, que continha soda cáustica, amônia e metanol. O setor de fabricação do combustível não foi afetado de forma significativa. Técnicos da ANP fizeram vistoria na usina, que voltou a operar normalmente 11 dias depois do acidente. O laudo técnico sobre as causas da explosão ainda não foi concluído.


Biodiesel de dendê é rejeitado


Biodiesel de dendê no mercado é ainda coisa rara no Brasil. Tão raro que tem causado estranhamento nas distribuidoras de combustível. Tudo por causa da coloração avermelhada, bem diferente do tom amarelo da grande maioria do biodiesel comercializado no país, produzido principalmente a partir do óleo de soja e do sebo bovino. Por conta disso, algumas distribuidoras que atendem os Estados do Norte e Nordeste estão se recusando a retirar o produto da usina Nubras (antiga DVH Chemical). A empresa, primeira a fabricar B100 com óleo de palma bruto no país, alega que o biodiesel está dentro das especificações e que a recusa é por puro preconceito. A pedido da ANP, a empresa enviou amostras do combustível a Brasília e agora aguarda parecer da agência sobre o assunto.