013

B20 metropolitano: cidades mais limpas


BiodieselBR.com - 08 dez 2009 - 17:00 - Última atualização em: 20 jan 2012 - 11:12
Projeto de lei prevê uso de 20% de biodiesel nas regiões metropolitanas do país. Isso significa mais saúde, menos poluição e uma série de outros benefícios. A questão agora é: como fazer para que isso se torne realidade?

Meri Rocha e Rosiane Correia de Freitas, de Curitiba

Respire fundo. Se você mora em uma grande cidade brasileira, exposta diariamente à emissão de toneladas de gases poluentes, o ar que você acabou de inalar certamente é um dos piores inimigos da sua saúde. Diversos dados obtidos pela ciência comprovam isso. Só para se ter uma idéia, um estudo produzido pelo Laboratório de Poluição da Universidade de São Paulo (USP) mostra que no Brasil são gastos R$ 459 milhões por ano em função da poluição.

Mas o lado financeiro não é o pior. Afinal, dinheiro perdese e ganha-se. Vidas humanas, porém, não seguem essa mesma regra simples. E o mesmo estudo da USP revela que, por ano, só na cidade de São Paulo, a poluição atmosférica custa a vida de mais de 7.100 pessoas. Todos sabem também que o próprio planeta (e nossa sobrevivência nele) está ameaçado se não tomarmos medidas urgentes em relação àquilo que jogamos na atmosfera. O efeito estufa e o aquecimento global são fatos cientificamente comprovados.

Por isso tudo, qualquer iniciativa que ajude a tornar o ar que respiramos mais limpo é mais do que bem-vinda. E uma das melhores notícias do gênero no Brasil acaba de entrar em discussão no Congresso Nacional. A proposta partiu da União Brasileira de Biodiesel (Ubrabio) e foi apresentada pelo deputado federal paulista Antônio Carlos de Mendes Thame (PSDB) na forma do projeto de lei no 5587/09, que já circula pelas comissões da Câmara dos Deputados.

A proposta básica é simples: fazer com que nas grandes metrópoles nacionais o biodiesel seja acrescentado ao diesel mineral em maior proporção do que nas outras áreas do país. Hoje a obrigatoriedade da mistura é de 4%. A proposta prevê que nas metrópoles esse índice seja aumentado para 8% já em 2011, com acréscimo de dois pontos percentuais por ano até 2018, quando atingirá 20%. Daí o nome B20 Metropolitano.