013

Revista BiodieselBR: biodiesel é a especialidade


BiodieselBR.com - 06 dez 2009 - 12:57 - Última atualização em: 19 dez 2011 - 17:33
Cobrindo com seriedade e independência o mercado de biodiesel, revista BiodieselBR comemora dois anos de circulação, um mês após o site completar seis anos no ar

Alice Duarte, de Curitiba

O mercado de biodiesel é ainda muito precoce, mas vem apresentando crescimento consistente, sob os olhos atentos da equipe do governo Lula – de quem não se pode tirar o mérito de ser o mentor do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB). O setor caminha a passos firmes para completar oficialmente cinco anos de vida em dezembro de 2009, com grandes expectativas de ver antecipada em três anos a mistura obrigatória do B5. Nesse período de consolidação, houve conquistas importantes e, como não poderia deixar de ser, alguns descompassos. Com o crescimento acelerado da indústria – de zero a 3,6 bilhões de litros de capacidade ao ano, somente das usinas autorizadas a vender – coube tropeços de quem precisa correr dos predadores antes mesmo de aprender a ficar em pé sozinho.
“Direcionada ao setor que lhe deu o nome, a Revista BiodieselBR vem ajudando a construir um futuro promissor para o biodiesel no país, ao veicular notícias e opiniões de especialistas sobre temas relevantes dessa cadeia produtiva.”
José Honório Accarini, assessor da Subchefia de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais da Casa Civil da Presidência da República

Toda essa trajetória foi acompanhada pela BiodieselBR: desde 1º de setembro de 2003 através de seu site e há dois anos pela revista BiodieselBR. O biodiesel ganhou nova dimensão e perspectiva nas páginas da revista, um território livre, independente e aberto para o amplo debate dos assuntos mais relevantes e estratégicos para o segmento. E, como cabe ao jornalismo sério e comprometido, apontando as falhas e os obstáculos no processo de introdução deste novo combustível na matriz energética brasileira.

A primeira edição foi publicada em outubro de 2007, pouco antes do início da obrigatoriedade de uso do biodiesel. A revista nasceu anunciando a “Revolução Verde”, com uma proposta definida de fortalecer o setor, evitando erros e ajudando a construir o futuro do biodiesel no Brasil.

Várias pautas mereceram destaque, como a necessidade de diversificação de matérias-primas, de investimentos em pesquisa e desenvolvimento, a cobertura dos leilões, a inclusão social, os investimentos das indústrias, as inovações tecnológicas, os desafios da distribuição e da comercialização e as novas tendências de mercado. Tudo analisado e comentado por especialistas e pelos profissionais mais respeitados do mercado brasileiro.
“A revista BiodieselBR representou um marco na cobertura jornalística do biodiesel. Desde o começo do esforço do governo para implantar o novo combustível, a revista esteve presente divulgando o crescimento e o aprimoramento dessa indústria no Brasil.”
Ricardo Dornelles, diretor de Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia

Justamente por haver grande carência de informações especializadas, a revista BiodieselBR vem ganhando espaço e confiança no setor. Quem acompanha diariamente as informações veiculadas sobre biodiesel sabe que a grande imprensa ainda não trata com a merecida atenção e profundidade este jovem e promissor mercado, que deverá crescer 33% este ano.

Marco
De um lado o governo reafirmava a diretriz do PNPB de diversificar as oleaginosas e de incluir a produção da agricultura familiar. De outro, fazia silêncio sobre dados estratégicos que permitiriam a fiscalização por parte da sociedade de como estava sendo conduzido o programa. A falta de transparência em relação aos dados do percentual de cada matéria-prima utilizada na produção de biodiesel foi mostrada nas páginas da revista. Hoje esses dados são divulgados mensalmente nos boletins da ANP e do MME e contribuem para a discussão e reflexão sobre as políticas públicas.
“Parabéns à revista BiodieselBR. Foram dois anos de reconhecido trabalho no que se espera de um meio de comunicação independente e responsável, possibilitando um ponto de encontro permanente para os assuntos dos diferentes elos da cadeia produtiva do biodiesel.”
Denilson Ferreira, coordenador-geral de Agroenergia da Secretaria de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Os problemas da inclusão social renderam reportagens, notícias e editoriais. A revista acompanhou a introdução e o funcionamento do Selo Combustível Social, a polêmica na condução (e no atraso) da primeira reforma da normativa, concluída no início deste ano, e a revisão de metas de inclusão do governo federal.

Nesses anos, o setor já superou crises importantes. Um dos momentos mais dramáticos foi o que se viu depois do 6º e do 7º leilões, realizados em novembro de 2007 para suprir as necessidades da mistura obrigatória entre janeiro e junho de 2008. A forte oscilação nos preços da soja somou-se ao longo prazo de entrega do biodiesel arrematado nos leilões e à inexperiência do setor com esse tipo de negociação. Na Bolsa de Chicago, a cotação disparou no primeiro semestre de 2008 e as indústrias de biodiesel amargaram prejuízos quando foram obrigadas a produzir a custos bem acima dos contratos de venda. A Brasil Ecodiesel paga até hoje as contas dessa turbulência e só agora finaliza seu processo de reestruturação financeira.
“Eu quero fazer um elogio muito forte à BiodieselBR. Vocês fazem algo inédito no setor de biocombustível. Nem no setor de álcool se vê uma revista assim.”
Luis Augusto Horta Nogueira, professor titular do Instituto de Recursos Naturais da Universidade Federal de Itajubá e consultor das Nações Unidas para temas energéticos.

O fato serviu de lição. Após esses leilões – cujo deságio médio foi o mais alto registrado, batendo a casa dos 22% – o que se viu foram atitudes mais prudentes por parte dos produtores e a adequação das regras por parte do governo, com a realização de pregões trimestrais, a diminuição do número de lances e um deságio menor.

Com toda a dinâmica desse mercado, onde não cabem mais erros de principiante, é cada vez maior a necessidade de informações estratégicas para a tomada de decisões. Este tem sido o norte na elaboração de cada edição da BiodieselBR: proporcionar uma visão integrada do setor, para que seu crescimento seja cada vez mais sustentável.

Neste segundo aniversário da revista, convidamos alguns profissionais a fazer um balanço das últimas 12 edições. Nas próximas páginas, você confere os depoimentos de quem tem contribuído para definir os rumos do mercado de biodiesel.
“A revista BiodieselBR tem sido fundamental para o desenvolvimento do setor de biocombustíveis no Brasil. Sua cobertura diferenciada tem proporcionado a todos os envolvidos no setor informações valiosas para reflexões e tomadas de decisão. Parabéns à BiodieselBR pelos seus dois anos, e vida longa para a revista e para os que acreditam nos biocombustíveis no Brasil.”
Allan Kardec Duailibe, diretor da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)


“A revista BiodieselBR é atualmente a mais completa fonte de informações sobre o mercado de biodiesel no Brasil, com matérias e análises inteligentes e esclarecedoras sobre os principais temas do setor.”
Ana Claudia Sturaro Limãos, gerente de Produto da Evonik

“A revista BiodieselBR vem nos últimos dois anos traduzindo, sempre com isenção e muito profissionalismo, as informações sobre o mercado de biodiesel, prestando um serviço inestimável ao setor.”

Joao Batista Cardoso, diretor da Binatural

“Uma revista especializada e de muita credibilidade, a BiodieselBR tem sido fundamental para manter bem informado este segmento de importância estratégica para a produção de energia limpa. Parabéns pela linha editorial e vida longa à publicação.”
Miguel Vaz Ribeiro, presidente-executivo da Fiagril

“O Brasil está enfrentando com sucesso a difícil e imprescindível missão de implantar um programa capaz de garantir preços competitivos, com qualidade de produto assegurada e com suprimento nacional sustentável. O país tem uma oportunidade única de reafirmar a sua liderança mundial na produção de biodiesel a partir de diversas fontes oleaginosas e em diversas regiões. Como fator de divulgação, integração, troca de experiências e de necessários debates, há que se ter uma publicação à altura desse desafio. Tenho certeza que a BiodieselBR cumprirá com muito êxito este papel.”
Ronaldo Mota, secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia
“A revista BiodieselBR veio preencher uma lacuna na área editorial do biodiesel, trazendo sempre informações atualizadas e que mostram realmente o cenário desse biocombustível em todo o país. Além disso, conta com a colaboração de personalidades marcantes envolvidas com o biodiesel no Brasil, assegurando que as informações repassadas aos leitores estejam associadas a um elevado grau de qualidade técnica e confiabilidade.”
Bill Jorge Costa, diretor técnico do Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar) e coordenador do Centro Brasileiro de Referência em Biocombustíveis (Cerbio)

“A revista tornou-se importante mecanismo de divulgação, contribuindo assim para o sucesso do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel e, conseqüentemente, para a consolidação do biocombustível na matriz energética nacional.”
Álvaro José Barbosa Barreto, responsável pelo Laboratório de Combustíveis e Lubrificantes (Lacol) da Divisão de Energia do Instituto Nacional de Tecnologia (INT)

“Acredito que a BiodieselBR é de fundamental importância para o setor. Além de informar, comenta os possíveis impactos dos acontecimentos para os leitores. Em dois anos, se tornou uma referência para o setor, pela qualidade das matérias, principalmente no que se refere a opiniões, prováveis cenários, bem como artigos técnicos de grande valia.”
Osvaldo Bullara, gerente de vendas da GEA Westfalia Separator Brasil

“A revista BiodieselBR já faz parte da história do biodiesel no país, sendo um espaço de informação e comunicação de interesse do segmento e da sociedade. Sua publicação é de suma importância, pois registra importantes eventos e acontecimentos, possui diversidade de temas e compromisso com sua reputação, resultante do reconhecimento e credibilidade alcançados.”
Juan Diego Ferrés, sócio-diretor da Granol e presidente do Conselho Superior da União Brasileira do Biodiesel (Ubrabio)

“Parabenizo a revista BiodieselBR pelos dois anos de existência com informações sérias e atualizadas sobre o recém-criado mercado do biodiesel no Brasil. Assim como os empresários que acreditaram no biodiesel brasileiro e investiram em unidades de produção, os editores da revista tiveram a percepção de um nicho de mercado inovador e que, pela jovem existência e boas perspectivas, carece de informação especializada, o que a revista tem provido com excelente qualidade.”
Rodrigo Augusto Rodrigues, coordenador da Comissão Executiva Interministerial do Biodiesel

“A revista me proporciona uma ampla visão de tendências do mercado de biodiesel, opinião dos principais produtores e panorama do mercado. Destaco especialmente a divulgação de informações quantitativas, que representam uma boa fonte de pesquisa, e a cobertura completa dos leilões de biodiesel.”
Fabricio Soto, gerente de Marketing e Supervisão da BASF S.A.