013

Produção mundial de biodiesel: Brasil foi o quarto em 2008


BiodieselBR.com - 21 dez 2009 - 09:59 - Última atualização em: 19 dez 2011 - 17:33
Argentina revisa números de produção em 2008 e Brasil se torna o quarto maior produtor de biodiesel, com perspectivas de ser o segundo em 2009

Alice Duarte, de Curitiba

O Brasil passou da quinta para a quarta posição no ranking mundial dos maiores produtores de biodiesel no ano passado. Tudo porque a Câmara Argentina de Energias Renováveis revisou os números da produção do combustível no país. De 1,21 bilhão de litros, o volume fabricado na Argentina caiu para 1,09 bilhão de litros (contra 1,16 bilhão de litros do Brasil). A instituição pediu desculpas pelo erro.

Apesar da falta de um programa de governo voltado para o biodiesel na Argentina, a produção deste país, comparada com a do Brasil, teve um crescimento maior em relação a 2007 (veja gráfico). No entanto, o biodiesel nacional, alavancado com a criação do Programa Brasileiro de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), reside em bases mais sólidas e dá sinais de estar mais preparado para turbulências, proporcionando menores oscilações no volume de produção das indústrias.

A produção dos líderes mundiais – Estados Unidos e Alemanha – vêm caindo significativamente este ano. Dois terços da capacidade de produção americana está ociosa, segundo o Comitê Nacional de Biodiesel dos Estados Unidos (NBB, na sigla em inglês). O biodiesel foi bastante prejudicado pela recessão e pela queda na cotação do petróleo. A expectativa é que os EUA fiquem em terceiro ou quarto lugar no ranking em 2009.

Situação semelhante enfrenta a indústria alemã, que está operando com 20% da capacidade por causa do aumento nos impostos sobre o biocombustível. Os usineiros calculam que a produção fique reduzida a cerca de 1,13 bilhão de litros, menos da metade da registrada nos dois últimos anos.

Um estudo apontou que a União Européia, por ter produção insuficiente, não vai conseguir cumprir a meta de adicionar 5,75% de biodiesel no diesel até dezembro de 2010. Isso vai abrir grandes oportunidades para países exportadores como Argentina, Malásia e EUA. É importante ressaltar que a maioria dos países estabeleceu suas indústrias de biodiesel focadas primeiramente no mercado interno, e que somente depois buscaram mecanismos de exportação. As exceções são a Argentina e a Malásia.

Se não houver freio para a indústria francesa, o Brasil poderá terminar 2009 em segundo lugar no ranking dos maiores produtores, com 1,5 bilhão de litros, à frente de Argentina, Alemanha e EUA.

Produção mundial de biodiesel