012

Comercialização: Preço e livre negociação


BiodieselBR.com - 25 ago 2007 - 13:13 - Última atualização em: 20 jan 2012 - 11:29
Preço
Nem a Petrobras nem as distribuidoras divulgam os dados consolidados dos preços praticados nos releilões por considerar essa uma informação sigilosa. “Esses dados estão com a nossa equipe, mas são reservados, porque ainda cabe recurso por parte dos clientes. Só depois de passar pela homologação da ANP é que eles são divulgados”, informa Robson Lewis, coordenador de Qualidade do Programa de Biodiesel da Petrobras.

Segundo a ANP, porém, o preço médio que as distribuidoras têm pago pelo biodiesel no releilão é de R$ 2,39 o litro. Para efeito de comparação, no último leilão de aquisição de biodiesel o preço médio foi de R$ 2,309 o litro (sobre esse valor ainda será acrescido ICMS, custos de frete e o lucro do distribuidor). Comprar um litro de biodiesel hoje sai, em média, um real mais caro do que comprar um litro de diesel, segundo o Sindicom.

Apesar do custo superior, a aquisição de biodiesel não é considerada como um problema pelas distribuidoras. “Existe uma diferença de preço. Mas com adição de 4% não é para dar uma diferença significativa na ponta, na bomba. Tem um reflexo, mas não é substancial”, diz Fábio Marconi, do Sindicom. No total, o acréscimo de biodiesel representa de quatro a cinco centavos de real a mais no custo final por litro, de acordo com o sindicato.

“Estamos em contato direto com a diretoria de qualidade da ANP, levando a ela os problemas que as distribuidoras enfrentam. Até o momento o que vemos é que o programa está sendo muito bem administrado”, elogia Marconi.

Livre negociação
No momento, as distribuidoras e o governo têm um parecer em comum sobre o sistema de releilões: ele é a melhor opção para o mercado brasileiro. O ideal, dizem as entidades representativas, é não mexer no time, que na opinião deles está ganhando. “Entendemos que hoje o sistema é o ideal. Não recomendamos nenhuma modificação”, opina Meira, da Brasilcom.

Para a Refap, é o modelo de comercialização adotado que garante tranqüilidade na negociação do biodiesel. “O releilão é realizado em um ambiente virtual, de forma a garantir a lisura e eqüidade do processo, onde todos os compradores apresentam propostas de compra para os lotes ofertados, em tempo real, considerando para isso a característica dos seus mercados e a sua estratégia comercial”, explica Diego Chevarria, analista de Comercialização e Logística da Refap.

No entanto, os próprios distribuidores sabem que a lei de livre mercado – incentivada pelas usinas, que têm interesse em vender o seu produto da maneira que lhe der mais lucro – poderá a médio e longo prazo mudar a forma como tudo está sendo feito.

“Em longo prazo o sistema de leilões deverá mesmo ser substituído pela livre negociação, o que é uma pena para o setor”, diz Meira. “Mas insistimos: para isso é necessário haver uma melhor distribuição de usinas, com a conseqüente viabilização de matérias-primas para fazê-las rodar de forma economicamente viável”, pondera.