012

Consolidação: incongruência


BiodieselBR.combbb - 25 ago 2007 - 14:06 - Última atualização em: 20 jan 2012 - 11:34
Incongruência

Talvez o leitor mais atento esteja um pouco perplexo com a aparente incongruência de se investir ainda mais capacidade justamente quando o mercado corre o risco de topar com uma crise de sobrecapacidade. Não chega a ser muito complicado compreender a lógica por trás desse movimento quando se tem em mente que a matériaprima representa quase 80% do custo total do biodiesel e que as únicas com volume de produção necessário para abastecer a indústria são a soja e o sebo bovino.

E por falar em soja, vale a pena ressaltar que, muito embora todo mundo esteja cansado de saber que a oleaginosa não é a melhor opção para a produção do biodiesel – ela é cara, produz pouco óleo por hectare, apresenta grande oscilação de preço etc. –, as perspectivas de viabilizar matérias-primas alternativas ainda são pouco animadoras em curto e médio prazos. A que parece estar mais perto de ganhar algum terreno no momento é o dendê, graças ao programa que o governo federal está elaborando para recompor áreas degradadas da Amazônia e a um consórcio firmado entre a Biopalma e a megamineradora Vale, que prevê o plantio de 60 mil hectares de dendê em regiões próximas a Belém, no Pará. Não chega a ser a solução, mas é um alento.

A boa notícia é que, ao contrário do que aconteceu no ano passado, que foi atípico para os mercados de commodities, o mercado de soja deverá ter um comportamento bem menos exótico até 2010. No começo deste ano houve a quebra de safra na Argentina, mas a partir de outubro a oferta deverá ser recomposta pela colheita nos Estados Unidos, que de acordo com analistas deverá ser boa.

Mas como a maioria ainda usa a mesma matéria-prima, a luta vai ser ferrenha pela economia de centavos nos custos fixos. E aqui os ganhos de escala simplesmente brilham. “Os custos de logística, operação e mão-de-obra não variam tanto em relação ao tamanho da unidade produtiva. Quanto maior a sua escala, melhor você pode diluir esses custos fixos. Relativamente, pode não parecer algo substancial, mas se você conseguir uma economia de somente um centavo de real por litro em uma planta com capacidade para 100 milhões de litros, no final do ano você vai ter um milhão de reais a mais no bolso, e isso faz muita diferença”, diz Barreira, da Dedini.