Mamona

Medição de Ricina


BiodieselBR - 01 fev 2006 - 23:00 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:22

Métodos para medição de ricina são essenciais para que se possa trabalhar com essa toxina tanto em pesquisa quanto em processamento industrial. Desde que se iniciaram os estudos com essa proteína, diversos métodos têm sido utilizados, sendo o mais simples a injeção de extratos da amostra a ser analisada em cobaias, método utilizado na série de estudos realizada na Universidade Federal do Rio de Janeiro e em vários outros trabalhos relatados, permanecendo ainda hoje como uma alternativa imprescindível para confirmar a inexistência de toxidez em determinado material.

O teste de hemaglutinação foi utilizado por Gardner et al (1960), o qual era semi-quantitativo, não permitindo a quantificação da proteína, mas comparando com um padrão j. No entanto, se descobriu posteriormente que a hemaglutinação era causada por uma proteína muito similar à ricina (RCA - Ricinus communis agglutinin), sendo que a aglutinina possui atividade tóxica muito baixa, porém alta capacidade de hemaglutinação, enquanto a ricina tem baixa capacidade de hemaglutinação, mas alta atividade tóxica. As similaridades são tão grandes entre as duas proteínas que os anticorpos produzidos contra ricina têm forte reação cruzada com a RCA, e a composição de aminoácidos entre as duas são homólogas em 93% na subunidade A e em 84% na subunidade B. Os métodos de medição de ricina de maior equilíbrio entre confiabilidade, praticidade e sensibilidade são aqueles baseados em imunologia, os quais são utilizados na maioria dos estudos publicados recentemente. Koja et al. (1980) desenvolveram metodologia para medição da ricina pelo método ELISA (Enzymelinked Immunosorbent Assay) e posteriormente outros autores desenvolveram métodos ainda mais sensíveis para uso médico, destinados a medir a concentração da proteína em fluídos biológicos como o sangue ou plasma. Um desses métodos de alta sensibilidade foi apresentado por Poli et al. (1994), baseado em ELISA com quimiluminescência, com sensibilidade de 0,1 ng/ml.

Narang et al. (1997) desenvolveram um biosensor utilizando fibra ótica com sensibilidade de 100 pg/ml, também com base em imunologia, podendo o biosensor ser preparado em cerca de 20 minutos para se fazer uma leitura rápida. Pinkerton et al. (1999) desenvolveram um método de medição de ricina por imunodifusão radial, no qual se prepara uma lâmina feita de gel contendo anticorpos anti-ricina; fazem-se poços no gel; coloca-se o extrato a ser analisado e observa-se a formação de um anel ao redor do poço, o qual tem maior ou menor diâmetro de dependendo da quantidade de ricina presente no extrato adicionado. O’Brien et al. (2000), Taitt et al. (2002) e Delehantly e Ligler (2002) propuseram equipamentos e processos que permitem a detecção simultânea de diversas toxinas e agentes químicos potencialmente utilizáveis com arma química, entre os quais se inclui a ricina. Shyu et al. (2002) também desenvolveram um método em que se utilizam anticorpos específicos para a subunidade A da ricina ligada a partículas coloidais de ouro e outro anticorpo específico para a subunidade B da ricina presa a uma matriz, de forma que a ricina fica presa entre os dois anticorpos junto com as partículas de ouro, as quais são mensuradas. Como se percebe, todos os métodos apresentados se baseiam em imunologia por ELISA ou imunocromatografia.

Wannemacher et al. (1992), objetivando definir a técnica mais acurada, compararam a detecção de ricina em um extrato de sementes de mamona por métodos de diferentes sensibilidades (a sensibilidade é informada entre parênteses): toxicidade em ratos (0,4 ppm), citotoxidade em células “Vero” (0,01 ppm), ELISA (0,002 ppm), HPLC (5 ppm), eletroforese em gel (20 ppm) e eletroforese capilar de alta performance (25 ppm) cujos resultados obtidos foram: 4,1 ppm pela toxidez de ratos, 4,9 ppm pela citotoxidade em células “Vero”, 1,3 ppm por ELISA, 9,3 ppm por HPLC, 3,3 ppm por eletroforese em gel e 2,9 ppm por eletroforese capilar. Concluiu-se que todos os métodos podem ser utilizados para detectar ricina em um extrato, mas os resultados obtidos podem ter grande variação.