BASF
Mamona

Estudos da mamona: Irrigação e Salinidade


BiodieselBR - 01 fev 2006 - 23:00 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:22

Absorção de nutrientes durante a fase vegetativa mamoneira em três solos da região de Mossoró, RN sob diferentes níveis de salinidade da água de irrigação

Com objetivo de avaliar os efeitos dos níveis de salinidade da água de irrigação sobre a absorção de nutrientes durante a fase vegetativa da cultura da mamona, foi desenvolvido um experimento em Casa de Vegetação na ESAM. Foram utilizados três solos e seis águas com diferentes níveis de salinidade. O plantio foi realizado com sementes da cultivar BRS 149 Nordestina. Verificou-se que com o aumento da salinidade, os teores no tecido de Nitrogênio e Fósforo aumentaram; os de Potássio aumentaram no solo pobre e diminuíram nos ricos em K; os teores de Sódio e a produção de matéria seca das plantas foram reduzidos.

Componentes da produção em diferentes cultivares de mamoneira irrigada com água salina

Objetivando-se estudar os efeitos de cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (CEa: 0,7; 2,7; 4,7; 6,7 e 8,7 dS m -1, a 25oC), sobre a produção de três cultivares (Paraguaçu-1, Paraguaçu-2 e CSRN -367) de mamona (Ricinus communis L.), conduziu-se um experimento, no delineamento inteiramente casualizado com 3 repetições, em esquema fatorial 5x3. As variáveis avaliadas foram; dias para colheita (DPC), de acordo com o amadurecimento dos frutos, frutos no 1º cacho (FC) aos 120 dias após semeadura (DAS), peso dos frutos (PF), das sementes (PS) e de 10 sementes (P10S) aos 150 (DAS). Não houve efeito interativo dos fatores para os pesos dos frutos e das sementes. Nos dias para colheita, a cultivar CSRN-367 apresentou-se mais precoce em todos os níveis salinos. Os frutos nos cachos diminuíram com o aumento da salinidade, onde a Paraguaçu-1, não apresentou frutos no nível salino mais elevado 4,7 dS m -1. A cultivar Paraguaçu-2, apresentou peso de 10 sementes 8,60% e 36,71 superior a Paraguaçu-1 e a CSRN -367, respectivamente, no nível salino NS 2.

Crescimento da mamoneira em três solos da região de Mossoró - RN sob diferentes teores de salinidade da água de irrigação

Com objetivo de avaliar os efeitos dos níveis de salinidade da água de irrigação sobre algumas variáveis de crescimento durante a fase vegetativa da cultura da mamona foi desenvolvido um experimento em Casa de Vegetação na ESAM. Foram utilizadas três diferentes classes de solos e seis tipos água diferenciadas por teores de salinidade. A semeadura foi realizada com sementes da cultivar BRS 149-Nordestina. Verificou-se que com o aumento da salinidade da água de irrigação, a produção por planta decresceu nos Latossolo Vermelho-Amarelo Eutrófico e Chernossolo Rêndzico Litólico, enquanto que no Latossolo Vermelho-Amarelo Distrófico o comportamento foi o contrário.

Evapotranspiração e coeficientes de cultura da MAMONEIRA (Ricinus communis L.), em Santo António do leverger - MT

Objetivando determinar a necessidade de água da cultura da mamoneira (Ricinus communis L.), ao longo do ciclo, nas condições da Baixada Cuiabana e comparar métodos de estimativa da evapotranspiração de referência, conduziu-se um ensaio no Município de Santo Antônio do Leverger, MT. Para determinação da evapotranspiração máxima (ETm) da mamoneira, foram utilizados 6 lisímetros de nível freático constante, mantido a 50 cm da superfície durante todo o decorrer do experimento. Para estimativa da evapotranspiração de referência (ETo), usou-se o método do Tanque Classe A (Penman) e a evapotranspiração de referência medida em lisímetro de drenagem cultivado com grama (Paspalum notatum L.). Foram realizadas as seguintes avaliações adicionais: caracterização dos estádios fenológicos da cultura, índice de área foliar, altura do dossel vegetativo e produção de grãos.

Fitomassa da mamoneira irrigada com águas de diferentes salinidades

Objetivando-se estudar os efeitos de cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (CEa: 0,7; 2,7; 4,7; 6,7 e 8,7 dS m-1, a 25oC), para o estudo dos índices fisiológicos de três cultivares Paraguaçu-1 (C1), Paraguaçu-2 (C2) e CSRN-367 (C3) de mamona (Ricinus communis L .), conduziu-se um experimento, no delineamento inteiramente casualizado com três repetições, em esquema fatorial 5x3. As variáveis avaliadas foram fitomassa da parte aérea (FPA), fitomassa da raiz (FR) e fitomassa total (FT) aos 150 dias após semeadura (DAS). Na fitomassa da parte aérea, o nível 2,7 dS m-1 apresentou-se 27,06% inferior ao nível 0,7 dS m-1. Para a fitomassa da raiz a cultivar Paraguaçu-1, apresentou maior massa nos níveis salinos 0,7 dSm-1 e2,7 dS m-1. A cultivar CSRN-367, apresentou menor fitomassa total em todos os níveis salinos.

Índices de crescimento da mamoneira sob efeito salino no início da fase vegetativa

A mamoneira (Ricinus communis L.), por apresentar capacidade de produzir satisfatoriamente sob condições de baixa precipitação é uma alternativa de grande importância para o semi-árido brasileiro, objetivando-se estudar em casa de vegetação os efeitos da combinação de cinco concentrações (C) de sais com condutividade elétrica da água de irrigação (CEa) na seguinte ordem: 0,7, 1,7, 2,7, 3,7 e 4,7 dS m -1,a 25°C e cinco proporções equivalentes de Na: Ca (9,5:0,5; 7,5:2,5; 5,0:5,0; 2,5:7,5 e 0,5:9,5), sobre os índices de crescimento inicial da mamoneira, variedade BRS-149 Nordestina, conduziu-se um experimento em blocos ao acaso com três repetições, analisado em esquema fatorial 5x 5. Os índices de crescimento avaliados foram altura de planta, número de folhas, diâmetro de caule e fitomassa da parte aérea. Somente a fitomassa da parte aérea foi afetada pelos tratamentos estudados, sendo o efeito isolado dos “teores salinos”, sem, entretanto, haver variação significativa das “proporções de sais” e da interação NxP. Ocorreu decréscimo de matéria seca da parte aérea de aproximadamente 6% por aumento unitário da CEa. Águas de irrigação constituídas dos sais NaCl e CaCl2 nas respectivas proporções usadas neste trabalho não promoveram redução significativa no crescimento da mamoneira.

Quantificação de água necessária para a mamoneira irrigada com base nas constantes hídricas do solo

Nesse trabalho, aplicam-se metodologias baseadas na física do solo com ênfase nas constantes hídricas, em que se quantificam as suas amplitudes no âmbito da interface poros-água. O objetivo do trabalho é sugerir alternativas técnicas para o planejamento do cultivo da mamoneira (Ricinus communis L.) sob condições irrigadas em diferentes classes texturais de solo, buscando otimizar o rendimento para produção de matéria-prima e geração de energia a partir de fitossistemas.
A programação adequada dos eventos de irrigação consiste em suprir integralmente às necessidades de água nos diferentes estádios de desenvolvimento da planta. Mencionam-se diferentes procedimentos adotados que consideram o status de água em um, ou mais componentes do sistema solo – planta - atmosfera, a saber: medidas climáticas, medidas no solo e medidas na planta.

A adoção desse tipo de manejo contribui na economia dos recursos hídricos, energia e mão-de-obra, já que a quantidade de água a ser aplicada à cultura depende da demanda climática ou atmosférica, do estádio de crescimento e da eficiência de aplicação do sistema de irrigação utilizado. No entanto, na impossibilidade da interação dos três meios técnicos-científicos, busca-se, pelo menos, um desses recursos.