BASF
Produção e consumo

Produção cai 15% em Mato Grosso


A Gazeta - 06 set 2012 - 09:56 - Última atualização em: 06 set 2012 - 13:15
producao MT cai 1 060912
Mato Grosso produziu 205,950 milhões de litros de biodiesel no 1º semestre deste ano, sendo 30,818 milhões (l) ou 15% a menos que o obtido no mesmo período do ano passado, quando a produção alcançou 236,768 milhões (l), segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Apesar da retração semestral, o Estado é o 4º maior produtor e o 2º principal consumidor de biodiesel do país, segundo o coordenador de biocombustíveis do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), André Machado, que participou de reunião nesta quarta-feira (05), na sede da Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop, com representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf) e produtores. 

Encontro foi promovido para identificar as dificuldades enfrentadas durante a última safra e orientar a preparação da próxima, além de firmar acordos e contratos para a safra 2012/2013, explica o coordenador. “Realizamos também a sexta reunião da Câmara Técnica de Bioenergia do Estado, que se reúne regularmente para discutir as oportunidades para produção de biodiesel e biomassa”. 

Produção de biodiesel em Mato Grosso envolve cerca de 800 agricultores familiares, distribuídos em 34 assentamentos rurais. Coordenador do MDA diz a produção assegurada pelos agricultores familiares em 2011 rendeu R$ 75 milhões, pagos pelas 11 usinas mato-grossenses certificadas com o Selo Combustível Social. “Mato Grosso possui o maior número de indústrias do Brasil”. Atualmente o Estado dispõe de 20 plantas industriais com capacidade para produzir 135,150 milhões (l) de biodiesel por mês. 

Construção e ampliação de outras 5 unidades está autorizada pela ANP e deverá aumentar a produção em 42 milhões (l) por mês. Uma das empresas que aumentou a produção de biodiesel recentemente foi a Cooperativa Mista de Produção, Industrialização e Comercialização de Biocombustíveis do Brasil Ltda (Cooperbio), lembra o coordenador de Selo Social da indústria, Eduardo
Femenara. Autorizada a produzir 360 mil litros diários do produto, com a expansão serão produzidos 460 mil litros. “Hoje ainda trabalhamos com um pouco de ociosidade, mas compramos soja dos cooperados e de agricultores familiares”. 

Conforme o secretário do Sindicato das Indústrias de Biodiesel de Mato Grosso (SindiBio/MT), Rodrigo Prosdócimo Guerra, os produtores do Estado têm conseguido melhorar a participação nos leilões, mas entende que ainda é necessário melhorar os preços praticados nos leilões.

Silvana Bazani