Informações

Greve paralisa produção nas usinas de Montes Claros e Candeias


BiodieselBR.com - 21 mai 2021 - 19:20

A produção nas usinas de biodiesel da Petrobras Biocombustível (PBio) em Montes Claros (MG) e Candeias (BA) está parada. Os trabalhadores da subsidiária da Petrobras iniciaram um movimento grevista por tempo indeterminado nessa quinta-feira (20) exigindo que a direção da companhia se comprometa com efetivos mínimos e cotas de produção.

A paralização coloca em risco a entrega de parte dos 36 mil m³ de biodiesel que a PBio vendeu no L79 e que estão sendo entregues entre maio e junho.

De acordo cm a Federação Única dos Petroleiros (FUP) a adesão à paralização entre os trabalhadores das duas plantas chega as 100% e no escritório da subsidiária, no Rio de Janeiro, mais de 80% dos trabalhadores sem funções gerenciais participam do movimento.

Desinvestimento

Os sindicatos também cobram que os empregos da PBio sejam mantidos e que os trabalhadores concursados sejam transferidos para outras unidades do Grupo Petrobras. A petroleira anunciou há alguns anos que não tem mais interesse na produção de biocombustíveis e que pretende se desfazer dos negócios na área – nos últimos anos a empresa já vendeu participações acionárias em fabricantes de etanol e de biodiesel.

Em fevereiro, a PBio vendeu por R$ 322 milhões a participação de 50% que tinha no capital da BSBios.

Os trabalhadores da PBio, mesmo sendo concursados, estão com seus empregos ameaçados, diante do processo avançado de privatização da subsidiária. A gestão da Petrobrás alega “impossibilidade jurídica” para atender a reivindicação da FUP e dos sindicatos de transferência dos trabalhadores para outras unidades do Sistema, caso a venda das usinas se concretize.

“O RH se recusa a negociar a transferência, empurrando centenas de pais e mães de família para a demissão sumária. Nós não vamos aceitar isso”, informou em nota o coordenador da FUP, Deyvid Bacelar, que está acompanhando a greve na usina de Montes Claros.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com
Com informações da FUP