Informações

Governo chinês vai reestruturar Cofco para fazer frente a gigantes agrícolas globais


Bloomberg - 08 mai 2019 - 08:44

A China estaria planejando uma ampla reestruturação de suas estatais de alimentos, medida com potencial impacto nos mercados agrícolas globais. O governo planeja transferir as operações de trading da Sinograin para a gigante de alimentos Cofco, segundo pessoas com conhecimento do plano. A reestruturação seria implementada em vários estágios. Além disso, a Cofco assumiria a capacidade de esmagamento de oleaginosas da Sinograin, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas porque o assunto é confidencial.

A reestruturação das maiores estatais da China, principal consumidora e importadora de produtos agrícolas, deve colocar a Cofco mais perto de sua meta de fazer frente ao tradicional grupo ABCD – ADM, Bunge, Cargill e Luis Dreyfus –, que domina os fluxos internacionais de produtos agrícolas, enquanto amplia sua capacidade de abastecimento de alimentos no país mais populoso do mundo.

As mudanças também se encaixariam nos planos do presidente Xi Jinping de reformar as inúmeras e ineficientes estatais da China, que respondem por quase metade dos ativos industriais do país. Siderúrgicas, empresas de energia e produtos químicos são alvo do programa de reestruturação.

"O plano de reestruturação para as duas gigantes agrícolas reflete os esforços do governo central para promover reformas estruturais do lado da oferta", disse Monica Tu, analista de oleaginosas da Shanghai JC Intelligence. "Vai se tornar parte da onda criada pela reorganização de grandes empresas estatais."

Os detalhes do plano estão sujeitos a mudanças, disseram as fontes. O governo chinês pretende concluir a reestruturação até o fim de 2020, segundo duas pessoas.

Enquanto a Cofco tem a missão de alimentar a população chinesa China, o papel de Sinograin é mais indefinido. A empresa importa soja e óleo de soja para as reservas do Estado, mas também tem capacidade comercial de esmagamento e refino de oleaginosas, o que classifica a empresa como a quinta maior da China, segundo informações do site da Sinograin.

A transferência da capacidade de esmagamento da Sinograin tornaria a Cofco a maior esmagadora de soja da China, segundo dados do Centro Nacional de Informações sobre Grãos e Óleos da China. A Cofco tem nove unidades negociadas na bolsa de Hong Kong, e quatro estão listadas nas bolsas da China continental.

A Comissão de Supervisão e Administração de Ativos Estatais, um braço do governo chinês que supervisiona as maiores estatais, não respondeu a um fax com pedido de comentários. Representantes da Cofco e da Sinograin também não responderam a uma consulta por fax e e-mail.

A Cofco planeja comercializar 30 milhões de toneladas de milho até 2020, 5 milhões de toneladas de açúcar e processar 20 milhões de toneladas de soja, segundo seu plano de investimentos quinquenal apresentado em 2016. O presidente internacional do conselho da Cofco, Johnny Chi, disse em março que a empresa planeja aumentar a oferta commodities agrícolas diretamente de agricultores fora da China para 60 milhões de toneladas por ano em 2022 em comparação aos 40 milhões de toneladas atuais. 

Tags: China Cofco