Informações

BSBios fecha negócio para expandir rede de recebimento de soja


BiodieselBR.com - 28 fev 2013 - 10:37
BSBios Coxilha_280213
A BSBios, produtora de biodiesel controlada pela gaúcha BSPar e pela Petrobras Biocombustíveis, concluiu a aquisição de 13 unidades de recebimento e armazenagem de grãos e um terminal ferroviário pertencentes à Adubos Coxilha na região norte do Rio Grande do Sul. A realização do negócio havia sido adiantada, em primeira-mão, por BiodieselBR.com nessa segunda-feira (25).

O valor do negócio ainda está em fase de definição, mas ficará entre R$ 70 milhões e R$ 80 milhões, e, de acordo com o diretor-presidente da BSBIOS, Erasmo Battistella, a operação deverá agregar R$ 300 milhões ao faturamento da empresa neste ano.

Como adiantou o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor, a compra será anunciada oficialmente nesta quinta-feira na sede da empresa, em Passo Fundo (RS). Conforme o executivo, as novas unidades vão mais que dobrar a capacidade de estocagem de grãos da BSBIOS, para 450 mil toneladas, ante as 220 mil toneladas atuais distribuídas em três armazéns. Elas ainda vão reforçar os canais de comercialização de fertilizantes e insumos para os agricultores e a estrutura logística própria, acrescentou.

Com maior volume de grãos recebidos, a BSBIOS pretende garantir suprimento de matéria-prima para sua unidade de esmagamento de soja também em Passo Fundo, que será ampliada no início do ano que vem. Hoje, a planta é capaz de produzir quase 160 mil toneladas por ano de óleo degomado a partir do processamento de 850 mil toneladas de soja, mas já na safra 2013/14 ela terá capacidade para processar mais de 1 milhão de toneladas do grão e para produzir 200 mil toneladas de óleo por ano.

Atualmente, a esmagadora pode suprir toda a demanda de óleo bruto da usina de biodiesel da empresa que fica na mesma área industrial e é capaz de produzir até 170 milhões de litros do biocombustível por ano. Mas a expansão, que deve exigir investimentos de R$ 10 milhões, leva em conta a ampliação da usina de Marialva (PR), concluída no fim de 2012.

Segundo Battistella, a planta paranaense teve a capacidade elevada de 127 milhões para também 170 milhões de litros/ano de biodiesel e no ano que vem passará a ter parte de suas necessidades atendida pela produção de óleo pela própria empresa. O projeto recebeu investimentos de R$ 10 milhões e a unidade só aguarda autorização da Agência Nacional de Petróleo (ANP) para aumentar efetivamente o volume de produção.

A maior capacidade de recebimento de grãos garantida pela aquisição dos novos armazéns suportará, ainda, o aumento da produção de farelo de soja na planta de esmagamento, de cerca de 700 mil para 800 mil toneladas por ano, acrescentou o diretor-presidente. A maior parte do produto é exportada e ajuda a reforçar o faturamento da empresa, que chegou a R$ 1,36 bilhão brutos em 2012, ante R$ 954,8 milhões no ano anterior.

Para 2013, a previsão da BSBIOS é atingir uma receita bruta próxima de R$ 1,8 bilhão, já incluídos os R$ 300 milhões que deverão ser incorporados pelas novas unidades. Ao mesmo tempo, a produção de biodiesel deve avançar de 300 milhões para cerca de 320 milhões de litros. Além disso, com a ampliação da estrutura própria de armazenagem e logística, os custos operacionais serão menores e as margens, consequentemente, mais robustas, acrescentou.

Conforme Battistella, a empresa passará a contar com dois terminais ferroviários em Passo Fundo, com a vantagem de que o novo, adquirido agora, é mais versátil. "O novo terminal é mais flexível porque também opera com recebimento e expedição de fertilizantes, coisa que o atual não faz por ser focado na movimentação de grãos, farelo e óleo", explicou o executivo.

Em 2012 a empresa já conseguiu negociar reduções nas despesas com fretes e armazenagem em instalações de terceiros, explicou Battistella. De acordo com ele, a empresa fechou o ano passado com desempenho positivo (considerando o lucro líquido e o lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações - Ebitda). Em 2011, apesar da alta de 43% na receita bruta, a BSBIOS havia apurado prejuízo de R$ 8,4 milhões devido ao aumento de custos operacionais.

Sérgio Ruck Bueno – Valor Econômico
Com adaptações BiodieselBR.com