PUBLICIDADE
cremer
Glicerina

USP otimiza nova rota de purificação de glicerina mais eficiente


BiodieselBR.com - 11 dez 2012 - 09:48 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
biodiesel glicerol_111212
A purificação da glicerina, principal subproduto do biodiesel, é um dos principais desafios dos produtores, já que muitas de suas aplicações mais nobre – e rentáveis – exigem um material isento de impurezas. Por isso, o Laboratório de Separações Térmicas e Mecânicas da Escola Politécnica da USP está otimizando uma nova rota de purificação que vem se mostrando mais eficiente do ponto de vista energético.

Segundo uma das desenvolvedoras do processo, Evelyn Gutiérrez, a nova rota tem como vantagem a redução da energia necessária no processo de produção. “Os processos convencionais usam altos vácuos para destilar, o que consome muita energia. A destilação trifásica usa a pressão atmosférica, reduzindo esse consumo em até 58%”, explica. A rota foi desenvolvida por pesquisadores da própria Escola Politécnica e está patenteada desde 2008.

Nesse novo método de purificação, a última etapa é a desidratação de uma solução glicerol-água por meio de destilação trifásica – a glicerina resultante atinge um grau de pureza de 99,5%.

Glicerina
De cada litro de biocombustível produzido, sobram cerca de 10% de glicerina. Em 2011, foram produzidos 2,6 milhões de litros do subproduto e a quantidade deve aumentar com o aumento da produção do biodiesel. 

Entre as aplicações da glicerina estão a alimentação, a produção de cosméticos, produtos farmacêuticos, resinas, entre outros.

Patrícia Herman – BiocieselBR.com