Releilões de biodiesel

Petrobras receberá R$ 0,06 por litro de biodiesel para intermediar 26º leilão


BiodieselBR.com - 01 jun 2012 - 12:05
Leilao-010612A “margem Petrobras” deve cair no leilão número 26 do biodiesel. As regras do certame, divulgadas na noite da última quinta-feira pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), estabelecem um acréscimo de R$ 0,06 para a estatal por litro de biodiesel comercializado. O ágio será 40% menor quando comparado ao pregão de número 25, realizado em fevereiro deste ano. 

No primeiro certame de 2012, o preço médio do litro do biodiesel foi de R$ 2,1381, enquanto o valor efetivamente pago foi de R$ 2,0354, dando margem de lucro superior a 10 centavos à Petrobras. No leilão 24, essa diferença foi de 14 centavos. 

Para este certame, se forem vendidos 750 milhões de litros, o faturamento da estatal será de R$ 45 milhões. Em março deste ano, as distribuidoras arremataram 587,9 milhões de litros, um investimento de R$ 1,25 bilhão, com ágio de 60 milhões para a Petrobras. No pregão anterior, a conta foi semelhante: ao todo, foram comercializados cerca de R$ 1,5 bilhão e R$ 79 milhões de faturamento para a estatal.

O leilão
Os detalhes da etapa 2 e 3 do certame estão no edital divulgado ontem pela ANP. Neste documento, a entidade determinou que depois das ofertas das usinas no dia 4 de junho, o leilão ficará nove dias parado e recomeça apenas no dia 13 com a venda do biodiesel das fábricas detentoras do Selo Combustível Social. Dia 14, será arrematado o biocombustível não vendido na data anterior e o produzido pelas usinas sem selo. Este longo prazo entre as duas primeiras etapas do leilão gerou forte descontentamento entre as usinas de biodiesel.

As distribuidoras interessadas em participar do processo precisam solicitar a inclusão no sistema da Petrobras, o Petronect, até 13 horas do próximo dia 11.

Com as novas regras do leilão, as distribuidoras têm papel mais efetivo, podendo optar pelo biodiesel das usinas que mais lhe interessam. Com isso, a qualidade do combustível e os fatores logísticos para a distribuição pesam no momento da compra – o que deve indicar o status das usinas pelas distribuidoras.

De acordo com o regulamento, a partir do momento em que as distribuidoras fazem oferta pelo biodiesel, ela não poderá mais ser retirada. Aquelas que pretenderem cobrir os lances dos concorrentes devem oferecer incrementos múltiplos de R$ 5,00 por metro cúbico no preço já ofertado.

Vinicius Boreki - BiodieselBR.com