Distribuição

Preço do biodiesel segura alta do diesel comercial


Notícias Agrícolas - 05 jan 2021 - 12:21

O brasileiro começou 2021 com nova alta nos preços do diesel A. O reajuste anunciado pela Petrobras em 29/12 é o último de uma série de quatro altas em menos de dois meses, que já totaliza um aumento 19,22% no preço da parcela que compõe 88% do diesel comercial (diesel B), que abastece a frota de veículos do ciclo diesel no Brasil. A boa notícia é que o biodiesel, que compõe os outros 12%, começa o ano com 20,29% de redução nos preços, queda que, se repassada integralmente para o consumidor, representará redução de R$ 0,12/litro nos postos.

“O preço do biodiesel, além de ter sofrido queda, ficará estável ao longo dos meses de janeiro e fevereiro, previsibilidade garantida pelo sistema de comercialização em leilões”, explica Daniel Furlan Amaral, economista-chefe da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). “O sistema de leilões não somente deixa o mercado menos suscetível à volatilidade de preços como as que assistimos agora com o diesel A, como garante maior competição entre os ofertantes do leilão que resulta em melhores preços e um produto nacional de qualidade para os consumidores”, reforça.

Em março de 2021, a mistura de biodiesel no diesel comercial será elevada para 13% (B13), mantendo o País entre as lideranças mundiais na produção e uso desse biocombustível. Também neste ano, a ABIOVE projeta processamento recorde de matérias-primas - soja e óleo de soja -, a qual responde à demanda da indústria de biodiesel e proporciona maior oferta de farelo proteico. Até 2023, o país atingirá a mistura de 15% (B15), a qual foi aprovada em testes coordenados pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

Notícias Agrícolas