PUBLICIDADE
cremer
Distribuição

Parada de caminhoneiros começa a preocupar Sindicom


Estadão Conteúdo - 03 jul 2013 - 15:55 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

O presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), Alisio Vaz, informou nesta terça-feira (02) ao serviço de informação em tempo real da Agência Estado, que os protestos de caminhoneiros pelo País causam "alguma preocupação com o suprimento de biocombustíveis", como etanol e biodiesel.

"Esses produtos vêm de longe e encontram paralisações regionais, seja em grandes centros ou mesmo em Paulínia", comentou, referindo-se à cidade que concentra indústrias do setor petroquímico no interior de São Paulo. Ontem, caminhoneiros bloquearam um pedágio que dá acesso à Refinaria do Planalto (Replan), justamente em Paulínia.

No caso dos combustíveis fósseis, como o transporte é feito através de dutos ele não sofre impactos negativos por causa do fechamento das estradas, explicou Vaz que também ponderou que até o momento a situação ainda não chega a ser preocupante. "Por enquanto, não tem nada de alarmante, nada crítico", diz.

Na terça-feira, caminhoneiros voltaram a bloquear rodovias em sete Estados (Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo). Ontem, nove Estados registraram protestos.

Com adaptações BiodieselBR.com