PUBLICIDADE
Motores

Scania vai produzir caminhões movidos a gás natural no Brasil


Transporte Mundial - 22 mai 2019 - 11:25

A Scania anunciou ontem (20) o seu próximo ciclo de investimento no Brasil. O valor será de R$ 1,4 bilhões e será iniciado a partir de 2021. Em 2020 ela encerra o ciclo início em 2016 no valor de R$ 2,6 bilhões, valores gastos, principalmente, na modernização da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) e lançamento da nova geração de caminhões da marca.

O novo investimento será para continuidade da modernização da fábrica e o desenvolvimento de veículos movidos a combustíveis alternativos.

“Estamos há 62 anos no Brasil sempre acreditando na visão de longo prazo e potencial do País e esse aporte reforça nossa jornada em direção ao transporte sustentável”, diz Christopher Podgorski, presidente e CEO da Scania Latin America.

O valor de R$ 1,4 bilhão será direcionado para modernização da fábrica. “Nosso ritmo de investimento tem sido de R$ 100 milhões/ano, mas agora, para atender as necessidades das novas tendências ligadas ao mundo do transporte, precisamos elevar esse patamar”, conta Podgorski.

Para o ‘aqui e agora’, o executivo diz que o foco são os combustíveis alternativos, especificamente veículos movidos a gás. “A produção de caminhões a gás em nossa planta, planejada para 2020, exemplifica o que reconhecemos como um investimento sustentável, ou seja, bom para os negócios e sociedade, e ao mesmo tempo de menor impacto para o meio ambiente”, completa.

Caminhão a gás em teste

Recentemente a Scania e a Citrosuco divulgaram uma parceria para a os primeiros testes com um caminhão que pode ser abastecido com gás natural veicular (GNV) ou biogás. O modelo, um pesado de 410 cavalos de potência, é da nova geração de caminhões da marca. O teste começou na primeira quinzena de dezembro, e o período de análises levará um ano. A rota escolhida é Matão-Santos, em São Paulo, para levar suco de laranja para a exportação destinada a mais de 100 países.

A tecnologia do motor Scania, inédita na América Latina, também permite rodar com a mistura de ambos os combustíveis. “O caminhão movido a GNV/Biogás é mais uma exclusividade apresentada pela Scania no Brasil. Trata-se de uma alternativa ao diesel viável, que pode ser implementada em curto prazo e possibilita uma significante redução de custos com combustível”, afirma Roberto Barral, vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil.

Na Europa, fabricantes de caminhões, transportadores e governos já entendem que o uso do gás para caminhões rodoviário é a melhor alternativa ao diesel no momento e mesmo para médio e longo prazo, ficando os elétricos para áreas urbanas. Lá, os caminhões já são comercialmente uma realidade e oferecidos por diversos fabricantes.