Motores

Daimler e Shell apostam em caminhões a célula a hidrogênio


O Estado de S.Paulo - 21 mai 2021 - 10:23

A Scania do Brasil acaba de fazer uma parceria com a Comgás para acelerar a implementação do gás natural e do biometano no País. Da mesma forma, a Daimler e a Shell se uniram para viabilizar os caminhões a célula a hidrogênio na Europa. Nesse sentido, a Daimler promete vender modelos do tipo a partir de 2025.

A Shell pretende desenvolver uma rede de abastecimento de hidrogênio. Para isso, vai unir três centros de produção. Ou seja, o do porto de Rotterdam, na Holanda, e os de Colônia e Hamburgo, na Alemanha. E lançar ter postos de abastecimentos nas estradas dessas regiões até 2024.

O plano é cobrir 1.200 quilômetros de estradas até 2025. Ou seja, ter 150 postos de abastecimento de hidrogênio. No mesmo sentido, a Mercedes-Benz pretende entregar 5 mil caminhões pesados a célula a hidrogênio até 2030. A marca pertence à Daimler.

Infraestrutura

A Shell e a Daimler Truck pretendem criar toda a infraestrutura para uso de hidrogênio. Logo, projetam a rede de abastecimento a partir dos padrões de uso de caminhões de clientes. O plano inclui estabelecer um padrão aberto de abastecimento, definindo como será o atendimento ao caminhão nos postos. Assim, será possível desenvolver uma estrutura econômica, confiável e segura. Segundo informações das duas empresas.

“Queremos ajudar nossos clientes a reduzir as emissões. E acelerar a chegada dos caminhões a hidrogênio. Eles são uma alternativa viável aos equivalentes a diesel”, diz o CEO da Royal Dutch Shell, que controla a Shell New Energies NL BV, Ben van Beurden.

Nesse sentido, tanto a Daimler Truck quanto a Shell são membros fundadores do recém-lançado consórcio H2Accelerate. Ou seja, um grupo criado para desenvolver e acelerar a implantação do transporte movido a hidrogênio na Europa.