Notícias

Preço da soja se recupera em Chicago e sobe após 7 quedas consecutivas


Agência Safras - 28 mai 2021 - 10:12

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira, 27, com preços acentuadamente mais altos. Após sete sessões consecutivas de perdas, fundos e especuladores aproveitaram para barganhar e garantiram a sustentação.

As altas foram impulsionadas pela disparada das cotações do milho, em meio à forte demanda pelo cereal americano. O relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou vendas líquidas semanais americanas de milho de mais de 6 milhões de toneladas.

Para a soja, o número ficou dentro das expectativas, totalizando 304.200 toneladas. A estimativa oscilava entre 25 mil e 800 mil toneladas.

Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com alta de 33,50 centavos de dólar por libra-peso ou 2,22% a US$ 15,37 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 14,87 por bushel, com ganho de 34,25 centavos ou 2,35%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo subiu US$ 6,50 ou 1,69% a US$ 390,30 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 66,81 centavos de dólar, ganho de 1,13 centavo ou 1,72%.

Soja no mercado físico

Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais altos nesta quinta, acompanhando a valorização dos contratos futuros em Chicago. A alta, no entanto, foi limitada pela queda do dólar, que também manteve a negociação travada.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 171 para R$ 171,50. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 170 para R$ 170,50. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 173 para R$ 173,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço seguiu em R$ 170 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca ficou em R$ 174.

Em Rondonópolis (MT), a saca avançou de R$ 165 para R$ 166. Em Dourados (MS), a cotação subiu de R$ 160 para R$ 161. Em Rio Verde (GO), a saca aumentou de R$ 164 para R$ 165.

Dólar

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com baixa de 1,07%, sendo negociado a R$ 5,2550 para venda e a R$ 5,2530 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2400 e a máxima de R$ 5,3130.