PUBLICIDADE
cremer cremer
Emissões

Começa a cúpula mundial da mudança climática em Doha


Terra - 26 nov 2012 - 15:56 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
COP18 abertura_261112
A 18ª conferência da ONU (COP-18) sobre a mudança climática teve início nesta segunda-feira em Doha, no Catar. O evento teve a presença de representantes de 190 países e 17 mil pessoas que buscam avançar nas complexas negociações sobre a limitação das emissões de gases que provocam o efeito estufa.

A conferência, que acontece até o dia 7 de dezembro, foi inaugurada pela presidente da cúpula anterior e ministra de Relações Exteriores sul-africana, Maite Nkoana-Mashabane, no Centro Nacional de Convenções da capital do Catar. A partir do dia 4, os negociadores receberão mais de 100 ministros que tentarão concluir um acordo e cumprir uma nova etapa no difícil processo de negociações da ONU iniciado em 1995.

Maite passou o bastão para o diretor da Autoridade Administrativa de Controle e Transparência do Catar, Abdullah bin Hamad al Attiyah, que assumiu o cargo de presidente da 18ª Conferência das Partes da ONU sobre Mudança Climática (COP18/CMP8).

Em seu discurso, a ministra sul-africana insistiu na necessidade de "caminhar com a perspectiva de 2020 e conseguir fundos para lutar contra a mudança climática". Insistiu que Doha oferece uma oportunidade única para "fazer história" e abrir um novo capítulo para 2020.

Por sua vez, Attiyah assinalou que a cúpula do Catar representa um desafio adicional, já que marca o final do primeiro período de compromisso do Protocolo de Kyoto, cujo alcance será fundamentalmente simbólico, o rascunho de um grande acordo global previsto para 2015 e a ajuda financeira aos países mais vulneráveis. E se mostrou "disposto a seguir escutando o que for necessário para enfrentar o desafio comum da humanidade e fazer o possível para assegurar um futuro melhor" para a geração atual e para as vindouras.

Attiyah acrescentou que esta conferência é "uma oportunidade de ouro" e apostou na transparência, na participação e no fortalecimento do papel das partes como princípios básicos para a negociação.

Antes de continuar com os discursos dos delegados dos 194 países participantes, interveio, além disso, a secretária-geral da Convenção Marco das Nações Unidas sobre Mudança Climática, Christiana Figueres. Ela destacou que esta reunião servirá para marcar o final do primeiro período de compromisso de Kyoto, o que, acrescentou, chama para uma "urgente resposta contra a mudança climática".

Na sua opinião, a cúpula de Doha "apresenta o desafio único de olhar em direção ao presente e ao futuro" e oferece a oportunidade de valorar o que fizeram os países do entorno na matéria.

A nova reunião acontece no momento em que os efeitos do aquecimento global são sentidos em diversos pontos do planeta e aumentam os apelos por uma ação. "É uma conferência de importância vital", declarou o presidente da conferência, o ministro do país Abdullah Al-Attiyah.

É a primeira cúpula sobre mudança climática realizado no Oriente Médio e a maior que acontece na história do Catar.