PUBLICIDADE
Emissões

Em seminário, Aprobio destaca benefícios do biodiesel


Assessoria de Imprensa Aprobio - 30 mai 2012 - 16:05
Onibusctba-300512
O presidente da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio), Erasmo Battistella, destacou os benefícios ambientais, econômicos, sociais e de saúde pública do biodiesel, combustível que emite 57% menos gases poluentes que o diesel fóssil. Battistella comentou sobre o setor no painel “Energia Eólica, Solar e Biocombustíveis”, no II Seminário de Matriz Energética, na sede da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro. 

“Nem mesmo o governo brasileiro, quando lançou o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB), em 2005, imaginava que o produto seria tão positivo para o país”, afirmou o presidente da Aprobio.

Segundo ele, o biodiesel representa um parque fabril de mais de 60 usinas. Na agricultura familiar, no ano passado, foram mais de 100 mil famílias de pequenos produtores vendendo matéria-prima para a indústria.

Battistella citou estudo da própria FGV, instituição promotora e anfitriã do seminário, para mostrar que o biodiesel hoje, misturado à proporção de 5% em cada litro de diesel comercializado no país, contribui para reduzir em quase 13 mil o número de internações hospitalares por problemas respiratórios, além de ajudar a evitar quase duas mil mortes pelo mesmo motivo.

Em termos econômicos, a produção nacional de biodiesel tem reduzido as importações de diesel. De 2005 a 2010, segundo a FGV, a economia na balança comercial brasileira foi de US$ 2,86 bilhões. Quando a mistura chegar a 20%, ainda sem previsão pelo governo, o número pode chegar a US$ 43 bilhões.

O trabalho da Aprobio, no momento, às vésperas da Conferência Rio+20 e com a proximidade da Copa do Mundo em 2014 e depois as Olimpíadas no Rio de Janeiro em 2016, é envolver as capitais e grandes cidades do país no projeto da Linha Verde, em que Curitiba é pioneira, desde 2009.

Nele, 32 ônibus circulam em via expressa da capital paranaense com 100% de biodiesel. O trabalho da Frente Parlamentar do Biodiesel tem ajudado muito neste esforço de envolver os poderes públicos municipais na iniciativa, ainda que com frotas piloto.

O presidente da Aprobio ressaltou a necessidade de planejamento de médio e longo prazo para o setor, de forma a haver segurança jurídica e previsibilidade econômica de mercado para que os empresários possam fazer investimentos. De 2005 a 2010, o setor já investiu R$ 4 bilhões. Até chegar a 20% da mistura de biodiesel no diesel, eles chegarão a quase R$ 30 bilhões.