Cidades

Ubrabio apresenta B20 Metropolitano ao secretário de Mobilidade do DF


Assessoria Ubrabio - 27 mar 2015 - 11:26
UbrabioReuniaoDF 270315
Representantes da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio) foram recebidos, nesta quinta-feira (26), pelo novo secretário de Mobilidade do Distrito Federal, Carlos Tomé, para apresentar as vantagens socioeconômicas e ambientais do uso de biodiesel no transporte coletivo urbano.

O diretor superintendente da Ubrabio, Donizete Tokarski, mostrou a competitividade do biodiesel em relação ao diesel fóssil e apresentou projeções de quanto a mistura de 20% de biodiesel no diesel fóssil (B20) comercializado pelas distribuidoras poderia tornar o combustível mais barato.

Atualmente, todo óleo diesel terrestre comercializado no Brasil contém 7% de biodiesel (B7), combustível limpo e renovável que reduz as emissões de Gases do Efeito Estufa em até 57% em relação ao diesel fóssil.

O diretor superintendente da Ubrabio já havia tratado da questão com o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, que direcionou o tema para a área de Mobilidade.

“O secretário de Mobilidade se propôs a dar encaminhamento ao projeto e levar a discussão para a equipe técnica da Secretaria e os empresários do setor. Acredito que, muito em breve, teremos uma notícia positiva para o DF, utilizando um combustível mais limpo e mais barato, que reduz as emissões de Gases do Efeito Estufa”, destacou Tokarski.

B20 Metropolitano
O uso da mistura de 20% de biodiesel no diesel fóssil (B20) pelo transporte coletivo urbano em grandes cidades e regiões metropolitanas, o chamado B20 Metropolitano, é incentivado pela Ubrabio desde sua fundação, em 2007.

O teor de 20% de biodiesel adicionado ao óleo fóssil tem ação efetiva na qualidade do meio ambiente e na melhoria da saúde humana, quando a população passa a respirar um ar mais puro, e reduz os gastos públicos com internações e outros custos sociais decorrentes da poluição.

Presente principalmente no ar das grandes cidades, o material particulado resultante da combustão de combustíveis fósseis pode penetrar nos pulmões e na corrente sanguínea, causando doenças cardíacas, câncer de pulmão, asma e infecções respiratórias.

O B20 Metropolitano representa a utilização de um percentual maior do combustível limpo e renovável nos grandes centros urbanos. O uso do B7, vigente no Brasil desde novembro de 2014, representa 7,3 milhões de toneladas de emissões de CO2 eq. evitadas ao ano. Com a utilização do B20, o Brasil evitaria a emissão de cerca de 20,8 milhões de toneladas de CO2 eq. De forma aproximada, cada percentual a mais de biodiesel mandatório no Brasil é equivalente ao plantio de cerca de 7,2 milhões de árvores.

Além disso, o biodiesel é isento de enxofre e a ampliação do seu uso contribui para que o Brasil atinja sua meta de redução de emissões nacionais de gases causadores do efeito estufa em 36,1% a 38,9% até 2020, compromisso voluntário firmado em 2009, durante a Conferência do Clima.