Cidades

Organizações cobram meta para frota mais limpa em São Paulo


Viatrolebus - 05 ago 2015 - 12:29 - Última atualização em: 05 ago 2015 - 16:29
EntidadesOnibusSP 050815
Um grupo de organizações da sociedade civil elaboraram uma carta cobrando a inclusão de metas ambientais na licitação que será aberta pela prefeitura de São Paulo para a seleção de empresas que vão operar parte do sistema de transportes coletivos da cidade. O documento foi entregue à SPTrans nessa segunda feira (03).

Idealizada pela União Internacional de Transportes Públicos (UITP) e assinada pelo Greenpeace Brasil, Rede Nossa São Paulo, Movimento Respira São Paulo e Instituto Saúde e Sustentabilidade, a carta cobra que o edital do processo seja modificado e passe a exigir que as empresas selecionadas adotem tecnologias menos poluentes do que os atuais veículos motivos à diesel.

O documento cobra o cumprimento da Lei Municipal 14.933/2009 que determina que toda a frota paulistana seja movida por fontes não fósseis até 2018.

Os documentos relativos aos editais publicados pela Secretaria Municipal de Transportes encontram-se sob consulta pública e podem receber sugestões até a segunda-feira (10).

Biodiesel

Um dos signatários da carta, o Instituto Saúde e Sustentabilidade que também foi autor de um estudo – elaborado à pedido da Aprobio – que mensurou os benefícios do aumento da mistura de biodiesel na qualidade do ar de seis das principais regiões metropolitanas brasileiras.

Pelas contas do instituto, a adoção imediata do B20 Metropolitano salvaria 13 mil vidas e evitaria 45 mil internações hospitalares até 2025.

Isso poderia evitar custos da ordem de R$ 1,6 bilhão para o sistema de saúde pública.

Com adaptação BiodieselBR.com