Soja

Preço da soja reage e sobe mais em MT que em Chicago


AF News Análises - 05 jun 2013 - 16:54 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
soja MT_Chicago_050613
Diante de um mercado mais volátil e nervoso do que o habitual para o período, a alta da soja no mercado interno tem superado a variação em Chicago – mercado de referência internacional para a commodity. Enquanto nos Estados Unidos a valorização foi de 7,51% nas últimas três semanas, no mercado mato-grossense a alta foi a quase 10%.

Essa valorização ocorreu devido principalmente à demanda bastante aquecida nos Estados Unidos em paralelo com os estoques norte-americanos estarem em níveis baixos. Somado a isso está a demora no plantio da safra 2013/14 dos Estados Unidos que continua em ritmo mais lento que a média dos últimos cinco anos.

A alternativa, segundo analistas do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), seria a demanda voltar-se para a soja do Brasil e da Argentina. No entanto, os problemas logísticos e políticos impedem que esses países consigam suprir a demanda imediata.

Com um cenário mundial empurrando as cotações para cima, o mercado mato-grossense também sentiu esses reflexos com incremento nos preços nas últimas três semanas de 9,6% (Sorriso). A alta do dólar – que chegou a R$ 2,13 na segunda-feira (03) – tem contribuído para manter a competitividade da soja nacional.

O movimento das últimas semanas vem invertendo uma tendência, de baixa traçada meses atrás, puxada pela produção sul-americana (Argentina e Brasil) e por um freio na demanda chinesa. Nos últimos meses compradores da China cancelaram grandes pedidos de soja.

Com adaptações BiodieselBR.com