PUBLICIDADE
Soja

Esmagamento de soja voltou a crescer no país em junho, diz Abiove


Valor Econômico - 10 ago 2021 - 09:14

O esmagamento de soja cresceu no país em junho, segundo informações divulgadas pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). Foi o quarto mês de aumento consecutivo.

Puxado pela demanda externa por farelo de soja e pela volta do percentual de mistura obrigatória de biodiesel no diesel vendido no mercado doméstico para 12% no próximo leilão, o volume alcançou 3,7 milhões de toneladas, conforme a entidade, em uma amostra que representa cerca de 85% do processamento total. Ante junho de 2020, o avanço foi de 2,3%.

Para este ano como um todo, a Abiove projeta que o processamento chegará a 46,5 milhões de toneladas, 0,7% menos que em 2020. A entidade trabalha com uma estimativa de colheita na safra 2020/21 de 137,5 milhões de toneladas, volume recorde 7,4% maior que o de 2019/20.

“Embora no acumulado de janeiro a julho as exportações de óleo e de farelo tenham seguido alinhadas com os volumes apurados em igual período do último ano, o crescimento da quantidade exportada de farelo no último mês foi surpreendente. Segundo dados oficiais do Ministério da Economia, a exportação alcançou 2 milhões de tonelada em julho, recorde para o mês”, destacou.

A Abiove projeta que as exportações de farelo de soja do país vão somar 16,9 milhões de toneladas, mesmo patamar de 2020. Para o grão, estima volume de 86,7 milhões de toneladas, 4,5% mais que no ano passado, e para o óleo de soja prevê 1,2 milhão de toneladas, alta de 8,1%).

Puxada pelo grão, a receita total dos embarques deverá se aproximar de US$ 50 bilhões em 2021, um novo recorde. Em 2020, foram US$ 35,235 bilhões.

Fernando Lopes – Valor Econômico