Soja

Empresa de biodiesel importa soja da Argentina, diz corretor


Valor Econômico - 21 jun 2012 - 18:03
soja210612
Uma indústria de biodiesel do Rio Grande do Sul fechou ontem a importação de 30 mil toneladas de soja da Argentina, segundo Liones Severo, corretor da GS Grãos e Soja. Sem relevar detalhes da negociação, Severo afirmou que foi a primeira importação de soja do Brasil “dos últimos quatro ou cinco anos”. “Conseguimos avançar tanto nas vendas ao exterior que, agora que não temos o produto, precisamos importar urgente”, disse.

Diante da escassez do produto no Brasil, Severo relata que a soja está sendo negociada a R$ 69 por saca no Rio Grande do Sul. Segundo ele, o produto importado ficou abaixo desse valor.

“Em um passado não tão distante, produtores do Centro-Oeste perseguiam um preço de US$ 9 (cerca de R$ 18) por saca e os da Região Sul sonhavam com US$ 11 (R$ 22). Atualmente resistem a vender a US$ 24 (R$ 48) e a US$ 30 (R$ 60), respectivamente”, afirma.

A soja da safra 2012/13, que começa a ser cultivada no quarto trimestre, está sendo comercializada na faixa entre R$ 61 e R$ 62 no Estado. “Esse valor pode ser considerado um prêmio incrível”, disse Severo. Segundo seus cálculos, 35% da nova safra brasileira já foi comercializada — metade disso foi no Mato Grosso.

Segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a relação entre estoque e consumo mundiais de soja está em 4,3%, sendo que abaixo de 5% é considerado um risco. “O ideal é 10%, mas o nível atual é o mais baixo da história, então os preços estão bastante satisfatórios para o produtor e devem continuar a subir”, disse.

Segundo o analista, se houver uma quebra de safra nos Estados Unidos, em função da seca no Meio-Oeste do país, os preços vão disparar ainda mais. “Sempre há um limite entre oferta e demanda e, por isso, a cotação da soja não deve chegar a US$ 20 por bushel, mas os prêmios pagos para os produtores já estão elevadíssimos, como há muito não se via”, disse.

Às 11h30, o contrato da soja com vencimento em julho era cotado a US$ 14,5225 por bushel em Chicago. O de vencimento mais longo, em março, era negociado a US$ 13,46 por bushel.

Fernanda Pressinott
Tags: Soja