Macaúba

Conab estimula produtores de macaúba em Minas Gerais


Portal Brasil - 12 jan 2016 - 09:48

Aproximadamente R$ 80 mil foram investidos pelo governo federal em Minas Gerais, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em apoio à comercialização da produção extrativista de macaúba. A subvenção foi acessada por 53 produtores das regiões norte e centro-oeste do Estado. Os recursos foram liberados por meio da Política de Garantia de Preços Mínimos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio).

A Macaúba é uma palmeira nativa do Brasil, predominante do cerrado mineiro e todas as suas partes podem ser utilizadas para inúmeros fins. A espécie tem sido vista como uma excelente alternativa para a produção de biocombustível.

A PGPM-Bio busca respeitar a ocupação territorial e os recursos naturais como condição para a reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica das comunidades extrativistas, que usam conhecimentos, inovações e práticas tradicionais.

Com o objetivo de ampliar o alcance da política, entre setembro e novembro do último ano, técnicos da Conab visitaram 55 associações e cooperativas. A intenção foi de divulgar o programa e capacitar os extrativistas para lidar com a documentação necessária à participação na PGPM-Bio.

Por solicitação dos agricultores e extrativistas da região, a Conab estuda a possibilidade de incluir novos produtos na pauta de subvenções, como buriti, panã, favela, tamarindo, jatobá, coquinho-azedo e cagaita - produtos considerados de alto potencial na região.

Por meio da PGPM-Bio, o governo federal oferece subvenção a 15 produtos do extrativismo em diversas regiões do país. Os extrativistas individuais ou organizados em associações e cooperativas recebem um bônus na venda do produto coletado nas florestas quando o negócio é realizado por um valor inferior ao preço mínimo fixado pelo governo federal.

Em 2015, a Política beneficiou mais de 5 mil famílias extrativistas em todo o país. Até o início de dezembro, foram aplicados mais de R$ 4,1 milhões na subvenção.