Pinhão-manso

Pesquisadores chineses quadruplicam produtividade do pinhão-manso


BiodieselBR.com - 05 mar 2012 - 16:57

{japopup type="image" content="http://www.biodieselbr.com/images/jatropha-rc2.jpg" width="754" height="350" title="jatropha antes e após pesquisa chinesa"}jatropha-rc2{/japopup} Pesquisadores do mundo inteiro conhecem muito bem a imagem acima e ela já foi divulgada diversas vezes em palestras sobre o pinhão-manso ao redor do globo.

Esse salto de produtividade é resultado de um trabalho publicado por dois pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências. O estudo permite compreender melhor os benefícios dos regulares de crescimento para a produtividade das plantações da Jatropha curcas, popularmente chamada de pinhão-manso.

Embora a indústria veja essa oleaginosa como uma candidata com grande potencial para se tornar uma matéria-prima importante na produção de biodiesel, até agora os resultados obtidos em larga escala não empolgaram.

Uma das principais dificuldades tem sido aumentar a produtividade das plantações. A biologia das plantas não tem ajudado. Como outros arbustos de polinização cruzada, a jatropha é uma espécie monóica, ou seja, tem flores femininas e masculinas separadas. Como elas possuem relativamente poucas flores femininas por inflorescência, sua produção de frutos cai. Tipicamente cada inflorescência tem entre 100 e 300 flores e gera cerca de 10 frutos.

Para contornar esse problema, os pesquisadores chineses começaram a testar os efeitos de um regulador de crescimento, chamado 6 benziladenina, no desenvolvimento floral e determinação sexual do pinhão-manso. O nome da substância não empolga, mas os resultados obtidos foram promissores. Com a aplicação da substância, o número total de flores aumentou 3,6 vezes (a média por inflorescência subiu de 215 para 784) e induziu o desenvolvimento de mais flores femininas e até de flores hermafroditas que não ocorriam no grupo de controle. Com isso o número de frutos produzidos por cada planta aumentou em 4,5 vezes e a produção de sementes em 3,3 vezes.

Os testes foram conduzidos entre abril e novembro de 2009 no Jardim Botânico Tropical de Xishuangbanna da Academia Chinesa de Ciências localizado do sudoeste da China. As inflorescências de plantas com um ano de idade foram pulverizadas com soluções contendo concentrações diferentes de 6 benziladenina. O número de flores e sexo de cada inflorescência foram, então, cuidadosamente contadas.

Com mais flores, a produção de frutos por inflorescência também aumentou indo de 13 por 58. Contudo, os frutos das plantas tratadas eram um pouco menores e mais leves do que as do grupo controle. Surpreendentemente o teor de óleo das sementes das plantas que receberam tratamento aumentou para 34,8% -- no grupo controle o teor de óleo foi de 31,7%.

A Embrapa também vem trabalhando para melhorar a produtividade do pinhão-manso. Além de ter consolidado um banco de germoplasma para o aprimoramento genético da variedade, os pesquisadores da empresa também vem testando a importância dos reguladores de crescimento.

O estudo chinês virou referência entre pesquisadores da área e vem sendo citado com bastante frequência pelo mundo. A versão integral do estudo (pdf em inglês) pode ser conferida aqui.{japopup type="image" content="http://www.biodieselbr.com/images/jatropha-rc3.jpg" width="754" height="317" title="jatropha antes e após pesquisa chinesa"}jatropha-rc3{/japopup}{japopup type="image" content="http://www.biodieselbr.com/images/jatropha-rc4.jpg" width="652" height="488" title="jatropha antes e após pesquisa chinesa"}jatropha-rc4{/japopup}

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com