Girassol

Biodiesel em troca de girassol


Correio do Povo - RS - 25 jan 2012 - 06:47 - Última atualização em: 27 fev 2012 - 00:33

O cultivo de girassol representa economia de diesel e fonte de alimento qualificado para o gado leiteiro de produtores de municípios do Vale do Rio Pardo. Graças ao Projeto de Produção de Biediesel, uma parceria da Afubra com a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), fumicultores que adotaram o plantio da oleaginosa e entregam na associação ganham em troca biodiesel e torta de girassol para suplementar o rebanho.

Com um hectare plantado com a oleaginosa pelo segundo ano, o agricultor João Carlos Medeiros garantiu o combustível do trator para o trabalho na lavoura até o início da safrinha. Ao mesmo tempo, a prenhez das 20 vacas leiteiras aumentou consideravelmente com a mistura da torta de girassol na alimentação dos animais. Surpreso com os resultados obtidos com a oleaginosa na propriedade, no interior de Rio Pardo, Medeiros pensa em aumentar a área no próximo ano. Ele tem um exemplo a seguir. Primeiro a produzir girassol e abastecer o trator com biodiesel, Hedio Bohrz é hoje autossuficiente. O produtor rural de Linha Rio Branco, no município de Sinimbu, foi o escolhido para participar do programa da Afubra desde o lançamento.

A pesquisa para verificar a viabilidade do cultivo do girassol nas lavouras de tabaco, lançada em 2005, ocorreu em 101 propriedades de 37 municípios. Com a conclusão do estudo, desde esta safra os fumicultores interessados no projeto contam com o fornecimento do pacote de insumos pela Afubra e assistência técnica gratuita. A estiagem deste ano reduziu a participação a apenas oito lavouras no Vale do Rio Pardo e Cachoeira do Sul. O técnico agrícola da Afubra, Nataniél Sampaio, diz que o trabalho será feito com antecedência em 2012/13. A exigência é ter maquinário agrícola e animais para o consumo da torta.

afubra-girassol.jpg
Foto: lula helfer / gazeta do sul / cp