Dendê / Palma

Subsidiária da Oleoplan inaugura fábrica em Roraima


BiodieselBR.com - 13 set 2012 - 13:46 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
inauguração palmaplan_1_130912
Conforme noticiado na semana passada, nessa segunda-feira (10) foi realizada a cerimônia de inauguração de uma unidade fabril de extração de óleos vegetais localizada no município de Rorainópolis (RR). O evento contou com a presença do titular do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas que esteve no estado para fazer o lançamento oficial do Plano Safra da Agricultura Familiar 2012/2013.

A Palmaplan é uma subsidiária da fabricante de biodiesel gaúcha Oleoplan constituída para tocar um ambicioso projeto de plantio de palma de óleo na Região Norte. Os planos incluem um forte componente de incentivo à agricultura familiar.

Até o momento, a empresa já conta com 1,5 mil hectares de plantações de palma. Dessa área, 500 hectares foram cultivados em parceria com agricultores familiares – a empresa já conta 70 parceiros envolvidos no projeto, dos quais 46 já possuem contratos devidamente protocolados junto ao MDA. “Estamos distribuindo mudas para os agricultores e, até que se regularizem os financiamentos do Banco da Amazônia e do Bando do Brasil, financiando diretamente”, destacou do diretor-presidente da empresa, Irineu Boff.

A previsão é chegar a 15 mil hectares dentro dos próximos oito anos, dos quais 6 mil em conjunto com a agricultura familiar.

Castanha
Contudo, os planos da Palmaplan não se esgotam no dendê. Em 2011, a empresa firmou parceria com o MDA para a comercialização de castanha-do-Brasil pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Isso permitiu eliminar os atravessadores no processo de comercialização da produção de indígenas da etnia Wai-Wai Xaary.

O arranjo já garantiu a comercialização de cerca de 190 mil quilos de castanha, o que rendeu aos indígenas R$ 190 mil em pagamentos. “Essas ações nos beneficiam por possibilitar a continuidade da produção e nos dar a certeza de que essa produção será comprada”, afirmou o tuxaua (cacique) da tribo, Geraldo Wai-Wai.

A unidade inaugurada no início da semana está mais ligada a este projeto. Com capacidade para esmagar até 12 mil quilos por dia, a fábrica recém-inaugurada vai se dedicar exclusivamente à produção de óleo de castanha e de buriti destinados à indústria cosmética. Segundo Irineu Boff, dependendo das condições da cadeia de suprimentos e da demanda do mercado, essa unidade poderá ser ampliada no futuro.

“A iniciativa cria emprego e renda para a comunidade, além de gerar riqueza para o município, o estado e o país”, destacou o ministro durante o evento de inauguração, ressaltando que o empreendimento vai gerar trabalho e renda para a região.

“É a nossa contribuição para a qualidade de vida dos agricultores familiares aliada ao respeito e à cultura local”, celebrou Irineu Boff que, durante a cerimônia de inauguração, celebrou um contrato com o agricultor familiar Luiz Pereira do Nascimento que prevê apoio para a implantação da cultura nas terras do agricultor e a subsequente compra da futura produção pela indústria.

Dendê
Quanto à produção de óleo de palma propriamente dito, ainda vai demorar mais alguns anos.

Em entrevista concedida à BiodieselBR, o empresário gaúcho contou que a primeira unidade de processamento de dendê da empresa deverá ficar pronta em 2015, ano em que as primeiras plantações pertencentes à Palmaplan e seus parceiros começam a atingir maturidade comercial.

Fábio Rodrigues
Com informações Folha de Boa Vista e MDA