Dendê / Palma

Pesquisa aponta bons resultados do dendê no Tocantins


Seagro/TO - 02 ago 2013 - 14:49 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

A pesquisa do dendê (óleo de palma), desenvolvida na Unidade de Experimento no Assentamento São João, município de Porto Nacional, é fruto de uma parceria entre a Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, (Embrapa) e Unitins Agro.

Segundo o pesquisador da Embrapa, Gustavo Campos, o experimento no Tocantins deve ser concluído no final de 2014, quando será apresentada a avaliação geral de todas as etapas de plantio do dendê. “Observamos que até agora a cultura demonstrou bons resultados, a produtividade deve aumentar, ainda mais, em torno de 50%. Estamos quebrando um paradigma, mostrando que o solo do cerrado é propício ao plantio do dendê”, ressaltou.

De acordo com o diretor de Agronergia da Seagro, Luiz Leal, as pesquisas que estão sendo realizadas para produção de biocombustíveis no Tocantins almejam a garantia de energia renovável. “A nossa meta é desenvolver alternativas de pesquisas para a produção de biocombustível, buscando uma produção parceira inclusa no Selo Social de Produção de Biocombustível do Governo Federal. O Tocantins vem buscando essas novas tecnologias para a produção energética renovável” argumentou.

Pragas
Campos, disse ainda, que além do experimento do dendê para análise da produtividade, os pesquisadores observam também a manifestação de pragas no plantio. Entre as plantas, são colocadas armadilhas para o controle do besouro, praga usual no plantio e controle da lagarta da folha.

Consorciado
A intenção dos pesquisadores é expandir ao máximo, aproveitando as áreas de cultivos. Ao lado do experimento, os pesquisadores implantaram uma unidade consorciada para o plantio de dendê e maracujá, como mais uma alternativa da cultura para o pequeno produtor. “A nossa expectativa é mostrar a possibilidade de aproveitamento de diversas culturas na mesma área, consorciando o plantio do dendê com abacaxi, banana, mandioca, entre outras culturas”, complementou o pesquisador Campos.

Vantagens
O óleo extraído do fruto da palma é, atualmente, o mais comercializado no mundo, dada a versatilidade de usos que possui. Por ser o melhor substituto para gorduras trans, está presente na indústria alimentícia em margarinas, biscoitos, tortas e sorvetes. Na indústria de higiene e limpeza é utilizado em cosméticos, sabão, sabonetes e detergentes. Na indústria química faz parte da composição de lubrificantes, óleos, glicerina e vários tipos de ácidos, e, mais recentemente passou a ser utilizado na produção de biocombustível.

Essa diversidade de usos resulta num crescimento contínuo da demanda. De 1998 a 2009, o consumo mundial saltou de 17 para 45 milhões de toneladas e representa, hoje, pouco mais de um terço do total de óleo consumidos no mundo.

Pesquisa
As pesquisas vêm sendo realizadas há sete anos, em Palmas. O dendê (ou palma de óleo) apresentou uma série de vantagens com relação a outros óleos. A palmeira começa a produzir a partir do quinto mês e tem produção contínua durante todo o ano. Além disso, a palmeira do dendê tem uma vida útil de 25 a 30 anos. No Brasil grandes áreas já são exploradas com o cultivo do dendê, sendo em sua grande maioria nos Estados do Pará e Bahia. No Tocantins, a pesquisa em estágio final avalia os custos de produção, ciclo de plantio, produtividade e a quantidade de água utilizada no sistema de irrigação do dendezeiro.