EUA

EUA ratifica taxação contra biodiesel da Argentina e Indonésia


Notícias Agrícolas - 06 dez 2017 - 14:18

A Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos (ITC, na sigla em inglês), confirmou em 71,45% a 72,28% a tarifa a ser paga pelo biodiesel proveniente da Argentina por cinco anos. A decisão havia sido tomada pelo Departamento de Comércio dos EUA há cerca de um mês.

Todos os quatro membros da ITC votaram a favor da medida. A porcentagem ficou como havia sido anunciada. Ela é substancialmente mais alta que a faixa entre 50,29% e 64,17% imposta de forma preliminar em outubro.

Para a ITC, a produção norte-americana de biodiesel ficou "materialmente prejudicada pelas importações de biodiesel da Argentina e da Indonésia".

"Esse voto afirmativo sobre o dano, junto com a determinação final dos direitos compensatórios do mês passado por parte do Departamento de Comércio, abre o caminho para as ordens finais de direitos compensatórios a partir do final de dezembro", sinalizou o National Biodiesel Board (NBB) em um comunicado.

Donell Rehagen, presidente da NBB, disse que "este voto unânime é um avanço importante para abordar o dano causado por este comércio injusto de biodiesel".

Reclamação

Um grupo de fabricantes dos EUA liderado pela NBB acusa a Argentina de praticar dumping no mercado de biodiesel.

A reclamação principal é que o governo argentino fixa as tarifas de exportação da soja em grão em patamares muito mais elevados do que os pagos pelo biodiesel. Isso garante que os fabricantes do país latino-americano tenham acesso à matéria-prima mais barata.

Com adaptações BiodieselBR.com