Conferência BiodieselBR 2020

[CBBR 2020] Biodiesel e o processamento de soja


BiodieselBR.com - 27 nov 2020 - 15:09

O Brasil se meteu num verdadeiro paradoxo: embora tenha finalmente passado os Estados Unidos e se tornado o maior produtor de soja do planeta, o país está encerrando o ano com os estoques do grão praticamente zerados. A falta do produto no mercado interno chegou a tal ponto de setores que dependem do óleo e do farelo estarem enfrentando sérias dificuldades para encontrar a matérias-primas de que precisam para continuarem funcionando normalmente.

No caso do setor de biodiesel, foi preciso até mesmo mudar uma regra que obrigava os fabricantes a produzirem exclusivamente com matérias-primas nacionais. A mudança implementada pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) incomodou as esmagadoras que sempre enxergaram no Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB) um incentivo para sua própria atividade.

O painel “Oferta, demanda e investimentos em biodiesel e esmagamento” da Conferência BiodieselBR 2020 tratou dessa relação de mão dupla entre as indústrias de biodiesel e de processamento de soja. Para falar do assunto foi convidada o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), André Nassar.

Segundo o palestrante, o setor de esmagamento opera com margens bastante apertadas e grandes volumes. As margens do segmento apresentam, inclusive, uma tendência histórica de ficarem mais estreitas. Elas passaram de 1,1% no começo de 1996 para perto de 1,05% no começo deste ano. “Vimos uma ligeira recuperação nas margens neste ano o que gera um sinal positivo sobre a atividade”, ressalta André.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR