Eventos

Biodiesel interiorano


BiodieselBR.com - 31 out 2012 - 15:56 - Última atualização em: 01 nov 2012 - 18:13
silvio rangel
Um levantamento feito pelo Sindicato das Indústrias de Biodiesel no Estado do Mato Grosso (Sindibio-MT) apontou que, a cada ano, quase 30 mil carretas precisam percorrer as estradas do Mato Grosso para levar aos consumidores do estado o diesel que movimenta a economia local. O combustível é essencial, entre outras coisas, para abastecer o maquinário agrícola e escoar as safras de um dos estados brasileiros mais importantes do ponto de vista rural, e que depende de caminhões para levar a soja que produz até os portos do Sudeste, de onde é exportada para o mundo inteiro.

Embora seja fundamental, o transporte dessa mercadoria traz problemas, como, por exemplo, aumento da emissão de gases poluentes e do trânsito nas estradas e degradação da infraestrutura. Permitir que o mercado mato-grossense – e outros estados do interior do país – aumente a mistura de biodiesel, produzido localmente, poderia ajudar a reduzir todos esses incômodos e ainda dinamizar a economia local, aproveitando melhor os recursos na proximidade de sua fonte.

O discurso é adotado por Silvio Rangel, presidente do SindiBio-MT, que apresentou a propostado biodiesel interiorano durante a Conferência BiodieselBR 2012. Segundo ele, o potencial de produção de biodiesel na região seria suficiente para suprir perto de um quarto da demanda local por combustíveis.

E não é apenas o Mato Grosso que poderia se beneficiar de uma estratégia de aumento de participação do biodiesel, disse Rangel. A cada ano, a região Norte do país consome aproximadamente 67 mil carretas de diesel mineral importado de outros estados. E tanto lá quanto no Mato Grosso há usinas de biodiesel em situação de subaproveitamento. “No Mato Grosso, 69% da capacidade não foi utilizada. Na região Norte, a capacidade ociosa foi de 49% no ano passado”, afirmou.

Pensando em tudo isso, o presidente do sindicato mato-grossense cogita que o governo pudesse aumentar a quantidade de biodiesel na mistura obrigatória do diesel – ainda que essa mistura fosse aumentada pontualmente, nas regiões em que isso trouxesse mais benefícios. “Se o que o Brasil quer é um desenvolvimento regional forte, é preciso investir no uso dos recursos naturais que existem em cada local”, afirmou.

Um argumento extra em favor do incentivo maior ao uso do biodiesel no Mato Grosso é que lá a diferença de preço entre o combustível de origem fóssil e o de origem orgânica é menor do que em outras partes do país. Na região Sudeste, por exemplo, o preço médio do diesel entre 2010 e 2012, segundo o sindicato, foi de R$ 1,82. O do biodiesel, de R$ 2,28. Ou seja, diferença de R$ 0,46. No interior do Mato Grosso, o diesel teve média de R$ 1,98 e o biodiesel, de R$ 2,24. Assim, a diferença é de apenas R$ 0,26.

Rosiane Freitas – BiodieselBR.com

banner revista_31
Tags: C2012