Em Foco

Embrapa Agroenergia tem novo Chefe-Geral


Embrapa Café - 05 set 2011 - 06:18 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:17

O agrônomo e doutor em fitopatologia, Manoel Teixeira Souza Júnior, assumiu na quinta-feira ( 1º) de setembro, a chefia da Embrapa Agroenergia. O novo Chefe-Geral chega à Unidade tendo dois importantes desafios imediatos à frente: concluir a implantação do setor de laboratórios da sede da Unidade e iniciar o processo que levará à elaboração do 2º Plano Diretor da Unidade (PDU). A busca por parcerias sinérgicas, nacionais e internacionais, o foco nas demandas dos clientes das cadeias produtivas da agroenergia e tornar a unidade uma instituição de excelência em PD&I no tema estão entre as metas de Manoel Teixeira.

“O tema agroenergia é amplo do ponto de vista de problemas demandando soluções, e altamente competitivo em PD&I, tanto no setor público quanto privado, no Brasil e no exterior. Fazer uma leitura precisa das demandas prioritárias das cadeias produtivas de agroenergia, associando a isso um mapeamento realista da capacidade de execução da unidade, será fundamental para identificar as melhores oportunidades de parceria e diminuir os riscos decorrentes da ação em um setor tão competitivo como esse”, destaca Teixeira.

Para apoiar Manoel Teixeira nessa missão, a Unidade terá como Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento, Guy de Capdeville, como Chefe Adjunto de Transferência de Tecnologia, José Manuel Cabral de Sousa Dias, e como Chefe Adjunto de Administração, Maria do Carmo de Morais Matias. Fundada em 24 de maio de 2006, a Embrapa Agroenergia recebe agora seu segundo Chefe-Geral, contando com uma equipe de 74 funcionários, que deve chegar a 90 em breve, número já autorizado pela Diretoria Executiva.

Segundo Manoel Teixeira, a nova Unidade, que passa agora pela fase de finalização da construção de suas instalações, terá uma chefia comprometida, com background sólido em PD&I e com experiência comprovada em articulação de projetos em nível nacional e internacional. “Vamos continuar fazendo ciência de muito boa qualidade, como sempre fizemos, mas com um viés mais tecnológico e menos acadêmico”, diz.

O trabalho do novo Chefe-Geral será norteado por três diretrizes principais: a promoção do desenvolvimento e aproveitamento eficiente do componente humano, a gestão e proteção dos ativos tangíveis e intangíveis do componente estrutural, e a promoção do capital de relacionamento com clientes e parceiros.

Segundo Teixeira, a primeira diretriz consiste em promover ações estratégicas necessárias à construção de um ambiente de gestão participativa, promovendo o comprometimento dos funcionários com o estratégico, o tático e o operacional. Especial atenção será dada ao desenvolvimento dos ativos pessoais. Em relação ao segundo ponto, ele ressalta a conclusão o mais prontamente possível do processo de implantação dos laboratórios, além de colocá-los em funcionamento com instrumentos de gestão que garantam a qualidade do conhecimento e das tecnologias ali geradas, como também a segurança de quem ali trabalhe. Destaque será dado à proteção dos ativos organizacionais, de inovação e de processos, fundamental em uma instituição que busca reconhecida eficácia na geração de conhecimentos e tecnologias, mas que também se preocupa com a efetividade dos seus produtos. E, finalmente, sobre a promoção do capital de relacionamento, o novo Chefe-Geral fala da importância do aperfeiçoamento dos processos de prospecção de demandas, do estabelecimento de parcerias sinérgicas e da ampliação e diversificação de fontes de financiamento para PD&I, Transferência de Tecnologia e Tecnologia da Informação.

“Vamos buscar parcerias sinérgicas e fazer a Unidade cada vez mais focada na solução de problemas demandados pela cadeia produtiva da agroenergia, estabelecendo uma relação dinâmica e próxima com nossos clientes, membros dessa cadeia. Esse é o primeiro passo para realizarmos de forma efetiva nossa missão”.

Histórico
Brasileinse de nascimento,  Teixeira atua na área de Genética, genômica e biotecnologia, e tem experiência reconhecida de 12 anos na área de gestão de projetos de PD&I, trazendo também na bagagem uma experiência de quatro anos como pesquisador na Embrapa Labex Europa. Há 21 anos na Embrapa, o novo Chefe-Geral se mostra pronto para contribuir em um nível diferente na Empresa: chefiando uma de suas mais novas unidades.

Manoel Teixeira é formado em Engenharia Agronômica pela Universidade de Brasília (UnB), tem mestrado em Agronomia, na área de Genética e Melhoramentos de Plantas, pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) e doutorado em Fitopatologia (área majoritária) e Biologia Molecular de Plantas (área minoritária), pela Cornell University.

Cristiane Vasconcelos

Tags: Embrapa