PUBLICIDADE
Em Foco

Com dois meses de atraso, Agrenco reporta prejuízo de R$ 24,8 milhões


Valor Econômico - 14 out 2011 - 05:54 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:18

Em meio à temporada de divulgações de balanços do terceiro trimestre, a trading de soja Agrenco divulgou hoje, com dois meses de atraso, suas demonstrações financeiras relativas ao segundo trimestre. A companhia, em processo de recuperação judicial desde setembro de 2008, registrou prejuízo líquido de R$ 24,8 milhões no período - valor 55% menor do que o observado no segundo trimestre de 2010, quando foi apurado resultado negativo de R$ 55,1 milhões.

A redução no prejuízo foi determinada principalmente pela conta financeira, que encerrou o trimestre no azul, com receitas de R$ 26,9 milhões, contra o valor negativo de R$ 16 milhões contabilizado no mesmo período do ano passado.

Do lado operacional, contudo, as despesas cresceram 33,0%, totalizando R$ 51,9 milhões, o que impactou o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações), que encerrou o período em R$ 51,7 milhões negativos, contra o prejuízo de R$ 39,1 milhões observado no segundo trimestre de 2010.

As receitas líquidas, por sua vez, cresceram de 7% na mesma base de comparação, para R$ 237 mil, com recuo de 15,3% nos custos, para R$ 520 mil.

No relatório da administração que acompanha o balanço, a Agrenco afirma que, ao longo do segundo trimestre, concentrou esforços e recursos na finalização da unidade fabril de Alto Araguaia, que foi concluída em 27 de junho. "Para o segundo semestre, se as margens permitirem, pretende-se iniciar a produção, venda de farelo de soja e energia elétrica provenientes da planta de Alto Araguaia", consta no documento. A produção de biodiesel está programada para ter início em 2012, bem como a exportação de produtos, que "estará sujeita aos preços e demandas dos mercados interno e externo".

Natalia Viri

Tags: Agrenco