PUBLICIDADE
cremer cremer
convidado

Sinal verde para o biodiesel


LEONARDO GADOTTI FILHO - 14 dez 2007 - 10:07 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:23

Três décadas depois de revolucionar o setor de energia com o maior programa de combustível renovável do mundo, o Proálcool, o Brasil volta a apostar em um novo projeto de energia renovável. Desta vez, com o biodiesel, que, adicionado ao óleo diesel, reduz a dependência direta desse derivado de petróleo e traz novas oportunidades de investimentos e geração de empregos no campo.

A partir de 1° de janeiro de 2008 todo o óleo diesel a ser comercializado no Brasil será composto de 2% de biodiesel puro e 98% de diesel convencional.

Engajadas na viabilização e no sucesso desse programa, as associadas do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes investiram em tecnologia e em planos logísticos para se adequarem ao desafio de lançamento nacional do novo combustível, acreditando que esse produto irá fortalecer a vocação do país na promissora área de bioenergia.

O biodiesel, incorporado à matriz energética brasileira, a tornará ainda mais diversificada, preparando o Brasil para os desafios de um desenvolvimento sustentável.

A experiência de 30 anos acumulada com o álcool anidro, que é misturado a toda a gasolina comercializada no país, tem sido útil em estudos e discussões que envolvem o lançamento desse novo combustível. Entre outros temas, mecanismos de controle de qualidade para impedir fraudes e práticas irregulares serão fundamentais para garantir o sucesso do programa. O Sindicom vem trabalhando com centros de pesquisa de forma a desenvolver testes simples para aferição de qualidade desse novo produto nos pontos de venda.

Por outro lado, esse programa vai exigir um intenso trabalho de coordenação, por parte da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis — ANP e das autoridades federais, para unir todos os elos da cadeia — desde a produção até o consumo, passando pela distribuição.

À ANP caberá ainda exercer papel fundamental na arbitragem frente a eventuais problemas logísticos e de disponibilidade do produto.

O objetivo principal é garantir a oferta, preservando o interesse do consumidor.

Acreditamos no sucesso do biodiesel. Combustíveis renováveis trazem um novo universo de oportunidades ao nosso país. Ao setor de distribuição de combustíveis cabe o desafio de garantir a tecnologia, a logística e a segurança necessária para disponibilizar esse novo combustível com competitividade e qualidade em todo o território nacional.

LEONARDO GADOTTI FILHO é engenheiro civil e presidente do Sindicom, Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes