Biodiesel

Produtores de girassol enfrentam pombos e fungos


BiodieselBR - 01 set 2008 - 06:54 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:07

No Norte e Sudoeste do Paraná, a perspectiva de lucro dos produtores de girassol está se transformando numa grande frustração. Os agricultores paranaenses esperavam ganhar dinheiro com o biodiesel. No entanto, problemas com fungos e pombos derrubaram drasticamente os rendimentos das lavouras.

No sudoeste do estado, próximo a Francisco Beltrão, quem optou por plantar girassol na safrinha acabou enfrentando um fungo chamado Sclerotinea sclerotiorum, também conhecido como “podridão branca”. A doença ataca plantas de girassol em regiões com temperaturas abaixo de 16oC. “Tivemos uma queda de 25 a 60% na produtividade”, conta o técnico da Emater, Valdir Koch. Para evitar o problema no futuro os produtores estão sendo orientados a não plantar girassol na safrinha.

Já no Norte do estado, os vilões das plantações de girassol são os pombos. As aves atacam as plantas em plena época de colheita. “Tem produtor que usou até carniça para atrair urubus e espantar os pombos, mas não deu certo”, conta Adenir de Carvalho, técnico da Emater na região. Produtores e técnicos tentaram outras soluções inventivas, como simular urubus e fazer barulho para tirar os pombos das plantações. Também não deu certo. A perda de produção ficou em 40 a 50%.

Rosiane Correia de Freitas - redação BiodieselBR