Biodiesel

Battistella começa a testar proposta de geração de energia a partir de B100


Paranashop - 03 set 2008 - 05:45 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:07

O Grupo Battistella há quatro anos vem pesquisando a utilização de biodiesel puro (100%). Esse esforço resultou numa proposta inusitada de fonte de energia alternativa para o sistema nacional: utilizar as usinas de biodiesel como parte de um complexo de geração de energia limpa em um modelo descentralizado e, com custo logístico menor que o abastecimento das atuais térmicas movidas a diesel convencional.

Segundo Gérson Schmitt, Presidente Executivo das empresas Battistella, essa proposta é inovadora e traz diversos benefícios, como a produção de energia junto à fonte de produção do combustível (usina) eliminando-se custo logístico entre a  usina e a unidade de mistura da Petrobrás e seu destino final.

Enquanto o investimento numa PCH ou usina convencional é geralmente superior a R$ 2.000,00/KW, uma PUC-100 (Pequena Usina de Biodiesel 100%) custa R$ 350,00/KW, com tempo de implantação de 2 a 4 meses, contra os 2 a 4 anos habituais das hidroelétricas. Numa crise de oferta de energia, em meio ano, várias PUB-100 poderiam despachar 500 mil/KW de energia limpa e renovável, evitando um súbito apagão.

Os benefícios estendem-se também aos usineiros de biodiesel, que atualmente possuem apenas o mercado de  combustível e poderiam reduzir seus riscos de negócio, participando do crescente mercado de energia.

Outro beneficiado é o programa nacional de biodiesel, para o qual a alternativa de conversão de combustível em energia poderia trazer um novo acelerador para o desenvolvimento e consolidação desse projeto estratégico. A Petrobrás, que hoje demonstra preocupação com o provável aumento do custo ou falta de gás, poderia evitar o deslocamento de milhares de caminhões com combustível para alimentar termoelétricas no centro-oeste. Assim, a proposta das PUB-100 apresenta-se como uma alternativa muito mais barata em termos logísticos, além de ser segura na geração e distribuição de energia. 

A pioneira na implantação do projeto em seu parque industrial, a BS Bios, empresa de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, começa a operar com auto-abastecimento. Com essa visão macroeconômica do projeto PUB-100 que transforma biodiesel em energia, a Battistella iniciou este teste de mercado e já vem atraindo outras usinas, financiamento e orientação do governo.

Segundo Erasmo Carlos Battistella, diretor comercial da BS Bios, anteriormente a empresa dependia somente da concessionária de energia local para o fornecimento de energia, independente do horário. De acordo com ele quando a demanda da concessionária aumenta nos horários de ponta – das 17h30 às 21h30 – existe a possibilidade de paralisação na produção da empresa. “Os blecautes de energia não são previsíveis e como trabalhamos com processos químicos contínuos, a nossa produção não pode parar”, explica.

Outra vantagem apontada pelo diretor é a economia. “Neste horário o preço da energia fornecida pelas concessionárias aumenta muito”, afirma.  A economia prevista é calculada com base na relação entre os preços praticados pela concessionária de energia e o preço da energia produzida pela usina geradora. Nos horários de ponta, de segunda a sexta-feira, o preço médio do MWh praticado pela concessionária é de R$ 1.169,50, sem impostos. Já o preço da energia produzida pela usina geradora a biodiesel instalada na BS Bios é de R$ 775,00 o MWh, incluso o preço do litro de biodiesel B100 que é de R$ 2,65.

A empresa utiliza o resultado da sua própria produção para obter energia. Desta forma não existe custo logístico de transporte de biodiesel ou custo tributário adicional. “Este equipamento supre a nossa necessidade de produção de energia para manutenção da planta industrial nos períodos de maior demanda. Com a vantagem de que esta é uma energia limpa, não poluente”, ressalta o diretor.

Com a evolução do projeto, a BS Bios já pensa em ampliar sua produção de energia, para atender a demanda local, em programa conjunto com a comercializadora que atua em sua região.

O grupo motor gerador alimentado a biodiesel reduz consideravelmente a emissão de gases poluentes em relação ao diesel comum, chegando a ter 25% menos emissão de CO (monóxido de carbono) e 14% de hidrocarbonetos, além da diminuição de 88% da fuligem na atmosfera, responsável pelo efeito estufa.

O grupo motor gerador Maquigeral B100 tem capacidade para produzir energia suficiente para abastecer um parque industrial de forma completa, utilizando soluções conjugadas de máquinas, chamadas de "Pequenas Usinas de Biodiesel - PUB". Esta tecnologia permite ainda a supervisão remota, à distância, do equipamento. O Maquigeral B 100 foi lançado no mercado pela Battistella no final de 2007, após seu desenvolvimento através de uma parceria tecnológica de vários anos, com o Instituto Tecnológico do Paraná – Tecpar.

Além de comercializar o grupo motor gerador, a Battistella Distribuidora vem credenciando fornecedores de biodiesel em locais próximos aos potenciais usuários de B100, a fim de garantir maior qualidade e eficácia do equipamento e disponibilidade de biodiesel puro (100%). Além disso, os clientes que hoje já possuem o grupo motor gerador da Maquigeral a diesel, poderão convertê-los para biodiesel 100% puro (B-100).

Sobre o grupo de empresas Battistella
A Battistella, , holding multi-setorial de capital aberto, acaba de entrar nas comemorações de seus 60 anos de atuação no mercado, atua em quatro setores, com oito unidades de negócios: Battistella Veículos Pesados (antigas Cotrasa e Ediba), Battistella Florestal (Mobasa/Flobasa/BIC), Battistella Distribuidora (Abadir/Maquigeral) e Battistella Logística. As empresas do Grupo têm sede no Paraná, Santa Catarina e São Paulo. O grupo de empresas Battistella comercializa produtos e serviços em todo o território nacional, sendo que parte de seu portfólio também é exportado, com negócios da ordem de R$ 800 milhões por ano. A Battistella ainda está lançando o projeto do porto de contêineres de Itapoá, que deverá operar a partir de 2009, contemplando a sua atuação no setor de logística.