PUBLICIDADE
cremer cremer
Negócio

Opep e aliados confirmam novo aumento na produção de petróleo


Valor Econômico - 01 jul 2022 - 10:05

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, grupo conhecido como Opep+, concordaram em aumentar a produção em 648 mil barris diários. A decisão desta quinta-feira segue um acordo feito no mês passado para aumentar a oferta entre os membros do cartel.

O novo aumento já era esperado após a Arábia Saudita ter afirmado que havia consenso dentro do grupo para elevar a produção acima do inicialmente previsto, como acertado entre os países no mês passado, após uma disparada global dos preços dos combustíveis.

A Opep está sob pressão dos Estados Unidos e de outros países para aumentar a produção de petróleo, já que os preços mundiais dos combustíveis atingiram o nível mais alto desta década por causa da guerra da Ucrânia e das sanções à Rússia.

Até o final de agosto, a Opep pretende retomar os níveis de produção pré-pandemia após os cortes feitos em resposta à queda brusca na demanda por causa dos lockdowns para conter a covid-19. Apesar da decisão conjunta anunciada hoje, a produção do grupo muitas vezes fica aquém, pois membros como Nigéria e Angola lutam para restabelecer a capacidade total de produção após anos de investimentos insuficientes.

O mercado está acompanhando de perto o que a Opep decidir após agosto, mesmo que o acordo de produção existente não acabe oficialmente até o final do ano.

Apesar da espera para saber dos próximos passos da Opep depois de agosto, a decisão de aumentar a produção já afetou os mercados e, após a ratificação do acordo nesta quinta-feira, o petróleo deve ter sua primeira queda mensal de preço desde novembro de 2021.

A Arábia Saudita indicou que está cautelosa em aumentar a produção muito rapidamente, já que o país tem capacidade ociosa limitada, estimada em cerca de 1 milhão de barris por dia.

Pessoas próximas ao país disseram ao “Financial Times” que há uma preocupação de que, se a produção da Rússia cair drasticamente por causa das sanções ocidentais, a Arábia Saudita precisa ter capacidade ociosa em reserva para liberar no momento certo.

O presidente dos EUA, Joe Biden, deve visitar a Arábia Saudita no próximo mês, quando deve pressionar por uma maior produção de petróleo como parte de discussões mais amplas sobre segurança e cooperação regional.

Tags: Opep Petróleo