PUBLICIDADE
Bioquerosene

Realizado voo transatlântico usando bioQAV de óleo de cozinha


Boas Notícias - 19 mai 2014 - 13:40
BioQAVKLM 190514
Um avião comercial Airbus da companhia aérea holandesa KLM Royal Dutch Airlines completou, neste final de semana, um voo transatlântico de 10 horas entre Amsterdã e a ilha caribenha de Aruba abastecido com biocombustível feito com 20% por óleo de cozinha reciclado. 
 
O principal propósito da experiência foi recolher dados acerca do funcionamento e performance do motor da aeronado capazes de fornecer respostas mais precisas quanto ao uso de biocombustíveis e ao desempenho destes face aos combustíveis fósseis, altamente poluentes.
 
De acordo com um comunicado da fabricante de aeronaves com sede na França, o Airbus A330-200 decolou do Aeroporto de Schiphol, em Amsterdã, em direção à ilha de Aruba, completando com sucesso "o mais longo voo com biocombustível" feito até à data por um aparelho da empresa. Este voo foi o primeiro de uma série de 20 viagens de longo curso que deverão ser realizadas com aviões da Airbus no âmbito da iniciativa europeia ITAKA ("Initiative Towards Sustainable Kerosene for Aviation") que ambiciona acelerar a comercialização de biocombustíveis para a aviação na Europa.

Financiado pela União Europeia, este projeto colaborativo envolve a produção de combustíveis limpos para esta indústria e a realização de testes com estes combustíveis nos sistemas já existentes e em voos europeus convencionais através da KLM Dutch Airlines.
 
Além disso, explica a Airbus, a iniciativa pretende também melhorar as ligações entre oferta e procura, estabelecendo relações entre os produtores, os distribuidores e as companhias aéreas. "A nossa participação na iniciativa ITAKA com a KLM utilizando um A330-200 é fundamental para o nosso papel de catalisador na comercialização de combustíveis sustentáveis para a aviação", afirma Andrea Debbané, vice-presidente dos assuntos do ambiente da Airbus.
 
"Estamos muito felizes por ter o apoio total da União Europeia neste projeto, que sustenta a iniciativa da indústria da aviação para o desenvolvimento de biocombustíveis ecológicos", conclui.

Com adaptação BiodieselBR.com