Bio

Pequenas e médias usinas de biodiesel se reúnem na ANP


BiodieselBR.com - 29 abr 2011 - 13:29 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:16

Nesta terça-feira (26), a direção da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural de Biocombustíveis (ANP) recebeu um grupo de 11 representantes de pequenas e médias usinas de biodiesel para discutir a as dificuldades que as empresas de menor porte vem enfrentando no mercado de biodiesel e estudar propostas para tentar contorná-las. Os diretores da ANP Haroldo Lima e Allan Kardec participaram do encontro.

A situação desse grupo de usinas foi o tema da reportagem de capa da última edição da revista BiodieselBR, que começou a circular no dia 15 deste mês.

“Essa reunião foi uma forma dos pequenos e médios produtores buscarem apoio da ANP para solucionar problemas que vem se repetindo”, explica o presidente-executivo da Cesbra, Carlos Omar Polastri, que participou da reunião. De acordo com ele, a situação dos leilões anda tão complicada que a Cesbra optou por não participar do 21º Leilão, mas ressalta que isso só é viável porque sua companhia também atua em outros mercados. “Gostaríamos de ter vendido biodiesel, porém com os preços praticados preferimos não participar. Essa é uma vantagem que temos porque também somos uma indústria de químicos de estanho, a maioria das unidades são monoprodutoras e dependem do biodiesel”, prossegue.

Segundo um produtor mato-grossense que participou do encontro e solicitou anonimato, a principal reclamação diz respeito ao atual formato dos leilões de biodiesel adotado pela ANP que, segundo eles, cria uma reserva de mercado de fato para os grandes. “O leilão já é seccionado porque as pequenas não conseguem disputar os lotes maiores o que resguarda as grandes”, diz.

Polastri vai mais fundo afirmando que as grandes verticalizadas estão “manipulando” o mercado. “Eles podem fazer uma série de manipulações de custos e é isso o que estamos vendo acontecer. Eles [as grandes usinas verticalizadas] têm uma estratégia de segregar esse mercado da mesma forma que aconteceu no mercado de etanol”.

Proposta
Essencialmente, a proposta que os representantes dos pequenos e médios usineiros é que uma parte do volume negociado nos leilões seja reservada às usinas menores. Polastri explica que o pleito se apóia na própria Constituição Nacional que, em seu artigo 170, estabelece o princípio de tratamento favorecido para as empresas de pequeno porte. “O principal foco da proposta que apresentamos foi a criação de leilões separados para os grandes e os pequenos”, diz acrescentando que a ideia foi “muito bem acolhida pela ANP”.

Segundo o executivo da Cesbra 44 usinas no Brasil participam do pleito, o que equivale a cerca de 65% das unidades autorizadas a produzir biodiesel.

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com