PUBLICIDADE
Bio

Com possível indiscrição do MDA, real participação da Petrobras é revelada


BiodieselBR.com - 11 out 2011 - 07:14 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:17

Há poucos dias a União Brasileira do Biodiesel (Ubrabio) divulgou algumas informações sobre a participação da agricultura familiar no primeiro semestre de 2011. Os dados mostram que nesse período as aquisições da agricultura familiar ultrapassaram R$850 milhões, valor que deve ultrapassar o montante de 2010, quando no ano inteiro as aquisições somaram R$ 1 bilhão.

Além desse dado, a Ubrabio afirmou que no âmbito do selo social “a empresa que mais comprou respaldou R$ 45 milhões beneficiando 43.000 famílias”.

Ou seja, o volume financeiro pago por uma determinada empresa e o número de famílias que esta incluiu foram divulgados. Apesar de se tratar de uma única empresa, esta poderia ser uma indicação de que o ministério em breve divulgará a participação das demais usinas?

A resposta é não. Viana Leite contou à BiodieselBR, que não é por falta de vontade do MDA que essas informações ficarão de fora. Inicialmente, a ideia era incluí-las nos relatórios, mas a iniciativa acabou vetada pela equipe jurídica do ministério sob a alegação de que esses são “dados sigilosos”. “A publicação dessa informação poderia prejudicar algumas empresas, principalmente as de capital aberto e que precisam seguir uma série de normas para a divulgação de informações”, defende. Ele acrescenta que o MDA estimula as empresas a fazerem essa divulgação por conta própria, mas que isso não tem sido feito pelo setor produtivo.

Mas a forma como as informações da Ubrabio foram obtidas não ficou totalmente claro.

BiodieselBR contatou o MDA atrás desses números apenas para esbarrar numa situação escorregadia. Enquanto a equipe da Ubrabio garante que todas as informações publicadas tiveram origem numa entrevista com Marco Antônio Viana Leite, a assessoria do ministério contou que os dados não passaram pelos canais protocolares.

O fator PBio
A origem do mal-entendido pode estar relacionado à divulgação do número de agricultores familiares da Petrobras Biocombustível (PBio). Embora disfarce, o texto da Ubrabio diz que a “empresa que mais comprou” beneficiou 43 mil famílias. Acontece que o texto acaba entregando a identidade da empresa ao fazer referência a uma reportagem de BiodieselBR que, com base em informações repassadas pela própria estatal, colocou esse número em 73 mil.

Se o número da PBio foi mesmo repassado à Ubrabio por Viana Leite, como afirma a equipe da Ubrabio, então, ele cometeu uma indiscrição. O servidor não confirma e nem nega abertamente ter dado entrevista, mas minimiza o caso dizendo que haveria outras formas da Ubrabio costurar as informações disponíveis do texto a partir de dados que o ministério já tornou públicos. Ele não diz como isso seria possível, entretanto.

Alheia a tudo isso, a PBio não parece ver muito problema. Contata por BiodieselBR, a assessoria da estatal informa que o número correto é mesmo o divulgado pela Ubrabio. “O número de 73 mil agricultores familiares se refere à base de cadastro da empresa. Porém, na última safra, 43 mil participaram efetivamente do programa de suprimento da empresa”, informou a empresa por email.

É no mínimo estranho a Petrobras divulgar o número de famílias cadastradas, em vez de informar o real número de famílias incluídas.

Considerando o novo número divulgado pela PBio, esta respondeu por 43% de todas as 100 mil famílias incluídas no âmbito do Selo Combustível Social.

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com