Bio

Embrapa firma parceria com MDA para pesquisar plantio do dendê


. - 15 jul 2011 - 07:22 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:17

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária de Roraima (Embrapa/RR) realizará um projeto de pesquisa encomendado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para constatar a viabilidade de cultivo do dendê consorciado a outras culturas da agricultura familiar.

O coordenador regional do programa do Biodiesel para a Região Norte, Luiz Humberto Silva, está no Estado cumprindo uma extensa agenda de compromissos. Várias reuniões estão sendo realizadas com o objetivo de buscar novas parcerias. Um dos avanços a partir da visita é a pactuação com a Embrapa para a realização da pesquisa.

“A pesquisa é para que a gente possa dizer ao agricultor quais são as melhores culturas para ele plantar dentro da área em que está sendo desenvolvido o dendê. Trata também da questão alimentar do agricultor”, explicou Humberto, após reunião na Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). A Embrapa tem prazo de 60 dias para entregar a proposta do projeto de pesquisa.

O programa de Biodiesel foi instituído em 2004 e basicamente se desenvolveu na Região Sul do Brasil. Ano passado o governo federal lançou o programa da Palma de Óleo com foco na inclusão social dos agricultores familiares na produção de matéria-prima para o biodiesel.

Em Roraima, o representante do MDA informou que tem sido feito o mapeamento dos agricultores familiares. Junto às empresas Palmaplan e Biocapital, que já trabalham com o plantio de dendê visando à produção de biodiesel, o órgão federal e os parceiros no programa têm buscado levar aos agricultores familiares todas as suas características e regras. Nos municípios de Caroebe, Rorainópolis, São Luis do Anauá, São João da Baliza e Caracaraí já têm plantação de dendê.

Humberto explicou que os agricultores que aderem ao programa necessariamente têm que ter um contrato para comercializar o produto. Ele tem direito à assistência técnica de forma gratuita e a linhas de financiamento. A empresa que adquire a produção dos agricultores familiares recebe um Selo Combustível Social e, seguindo as regras do programa, tem redução de alguns impostos federais e ainda acesso à linha de crédito para construção das unidades produtoras.

“A gente sabe do potencial de Roraima e esperamos que programa venha a contribuir para o desenvolvimento da economia local. O governo já tem feito parcerias com as empresas fornecendo alguns insumos, como o calcário. Mas estamos aqui para discutir como o Estado pode avançar um pouco mais para trazer o agricultor para o processo de produção”, destacou Luiz Humberto.

A delegada do MDA/RR, Célia Regina Sousa, esteve presente à reunião com o secretário de Agricultura, Rodolfo Pereira. Ela destacou as questões ambientais envolvidas no processo de produção do dendê.

“Os agricultores familiares que aderirem ao programa não podem desmatar para plantar o dendê. Já tem que ter uma área desmatada onde podem fazer o reflorestamento. Eles se adequam ambientalmente e têm a oportunidade de organizar sua produção dentro de sua propriedade com garantia de produção, com crédito e assistência técnica”, enfatizou.

Pereira informou que o Governo do Estado vem acompanhando e participando de todo o processo nas áreas em que está sendo desenvolvido o programa. “O Estado vem trabalhando nas regiões na parte de infraestrutura, de estradas e energia. Tem parceria de insumo com as duas empresas e a empresa de assistência técnica é do Estado. Nós estamos acreditando e há uma vontade política enorme do governo porque é um programa de inclusão social que vai melhorar a qualidade de vida do agricultor familiar”, destacou.

SEMINÁRIO
Está sendo discutida a realização de um seminário no mês que vem em Rorainópolis, possivelmente, para tratar junto aos agricultores familiares do Programa de Biodiesel. Uma visita de intercâmbio ao Pará também está prevista para que os agricultores, lideranças, sindicatos, prefeituras, o governo do Estado, as empresas e outros atores inseridos possam conhecer a experiência do Estado que já tem um processo mais longo de desenvolvimento do programa.

VANESSA LIMA
Fonte: Folha de Boa Vista

Tags: Dende Palma