Bio

[Conferência 2011] Aumento da mistura não é a única alternativa para as usinas


BiodieselBR.com - 31 out 2011 - 21:51 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:18

O diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Allan Kardec, apresentou uma palestra com o tema “Como manter o controle de um setor em expansão”, desafio que a agência busca responder desde o lançamento do PNPB. Ele ressaltou que regular um setor com mais de 90 mil agentes econômicos – entre produtores, distribuidores, revendedores e consumidores – não é desafio a ser minimizado.

Para o palestrante, a questão mais importante é a segurança do mercado.  Por isso a ANP mantém há vários anos um programa de monitoramento da qualidade dos combustíveis que está entre os mais bem-sucedidos do mundo, tendo conseguido reduzir os índices de não-conformidade do setor de combustíveis. Mas a introdução do biodiesel veio acrescentar mais complexidade à matriz energética brasileira.

Para responder aos desafios relacionados à qualidade da mistura entre diesel e biodiesel, a ANP criou três grupos de trabalho (GT), formados por agentes da cadeia com o objetivo de encontrar soluções para os principais gargalos. O resultado desse trabalho está desaguando numa nova especificação para o biodiesel produzido em território nacional. “Estamos nos finalmentes da nova especificação. Nas próximas semanas o documento deverá ser apresentado na reunião de diretoria da ANP”, disse Kardec, adiantando que a maior mudança dever ser no teor de água máximo permitido no biodiesel.

Kardec ressaltou que a ANP tem concedido autorizações para o uso de misturas maiores por frotas específicas, que já somam uma demanda adicional de 90 milhões de litros de biodiesel. Assim sendo, os empresários do setor não precisam necessariamente ficar esperando a aprovação de um marco regulatório nacional para aumentar suas vendas de biodiesel.  Governos estaduais, prefeituras e empresas também devem ser procuradas. Ele citou como exemplo a oportunidade criada pelas metas de uso de combustíveis renovável no transporte público aprovadas pela Lei de Mudança Climática da cidade de São Paulo.

Kardec lembrou que , mesmo sem novas misturas, a expansão da economia brasileira vai continuar puxando a demanda por biodiesel para cima durante os próximos anos. E destacou o sucesso extraordinário de em nenhum momento o mercado brasileiro ter ficado desabastecido desde que a mistura obrigatória foi implementada em 2008.

Clique na imagem abaixo para acessar a cobertura completa:
cobertura2011.jpg

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com

Tags: C2011