Bio

ANP autoriza construção de usina em Rondônia


BiodieselBR.com - 15 jul 2011 - 12:45 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:17

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) acaba de autorizar a construção de uma nova usina de biodiesel no estado de Rondônia. A autorização foi publicada no diário oficial de hoje. Batizada como De Paula Indústria e Comércio de Biodiesel a nova usina será instalada no município de Ariquemedes no nordeste do Estado – a cerca de 200 quilômetros da capital Porto Velho.

Será uma usina pequena com capacidade autorizada para produzir até 18 milhões de litros de biodiesel por ano. Isso a colocaria na 45ª posição do ranking das usinas autorizadas pela ANP, entre a paulista SP Bio (25 milhões de litros) e a goiana Minerva (16,2 milhões de litros).

Mesmo tendo um tamanho modesto para os padrões do mercado brasileiro, a De Paula deverá ser a maior usina de Rondônia. O Estado hoje conta com apenas duas unidades produtivas: a Amazombio, em Ji Paraná, com autorização para fabricar 7,2 milhões de litros por ano e a Ouro Verde, instalada em Rolim de Moura, com capacidade para 3,2 milhões de litros.

O sócio-gerente da empresa, Vicente de Paula, conheceu o biodiesel em Mato Grosso – onde possui uma fazenda de soja – e acreditou na oportunidade do negócio para Rondônia. “Percebi que não tinha usinas próximas daqui [do município de Ariquemes] e que temos muita agricultura familiar que produz bastante babaçu e girassol”, explica.

O empresário conta que seu projeto já está em andamento desde janeiro de 2007 e, se ele não tivesse tido dificuldades para conseguir financiamento e com o processo de construção, sua usina teria sido a primeira do Estado. Com a liberação por parte da ANP, a expectativa é que a usina esteja pronta para produzir entre o final do ano e o início de 2012. “Eu já tenho tudo mais ou menos no jeito para começar a produzir. A gente estava esperando mesmo é a liberação”, diz.

A partir disso, os planos não são propriamente modestos. Além de planejar uma esmagadora própria, De Paula conta que com poucas modificações na indústria poderia até dobrar a capacidade produtiva de biodiesel se isso se mostrar interessante no futuro.

Além do projeto da usina, De Paula também sido um dos incentivadores do plantio de girassol na região. “Eu trouxe girassol do Mato Grosso para cá e vi que ele dá bem na safrinha por aqui. Já tem alguns anos que estou incentivando o plantio de girassol para fazer rotação de cultura com o arroz”, explica. No ano passado ele também plantou um canteiro experimental de mamona que, em suas palavras, “pegou muito bem”.

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com