PUBLICIDADE
Bio

[23º leilão] Os preços do biodiesel


BiodieselBR.com - 09 ago 2011 - 08:43 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:17

Enquanto o edital do 23º leilão de biodiesel não sai, várias especulações sobre os detalhes da próxima concorrência rondam o setor. Qual será o preço máximo do biodiesel é uma das maiores preocupações.

Nos últimos leilões a ANP tem usado a sistemática de dois preços, um para os lotes grandes e outro para os lotes menores. O objetivo dessa prática era dar mais lucro às usinas menores que não podem concorrer em todos os lotes. Na prática essa medida se mostrou ineficaz, já que as ofertas rapidamente colocavam o preço do biodiesel no patamar do preço máximo menor.

Como no 23º leilão haverá 10 lotes, sendo dois para cada região, é possível que os preços sejam divididos de outra maneira. Já é sabido que os Estados terão um Fator de Ajuste Logístico (FAL) diferente para cada região. Estados longe do consumo terão um FAL maior que Estados próximos, ou seja, será descontado um “frete” maior das usinas localizadas nesses Estados. O objetivo é equalizar os lucros das usinas e, de certa forma, diminuir o preço do biodiesel descontando o frete das usinas que estão longe do consumo.

Partindo dessa premissa, a ideia de que a ANP estipulará cinco preços máximos ao invés de apenas dois é bastante razoável. A agência colocaria em cada região um preço máximo diferente, com o biodiesel sendo comprado por um preço menor nas regiões onde a matéria-prima é mais barata e pagando mais caro onde a matéria-prima custa mais.

Se essa sistemática for adotada, a região Centro-Oeste deverá ter o menor preço do biodiesel de todas as regiões, o que possivelmente faria o biodiesel ser competitivo apenas para as usinas daquela região. Apesar de parecer injusto dar um preço que praticamente irá excluir as outras usinas de participar de uma disputa na região Centro-Oeste, não acredito que alguém consiga competir com as unidades daquela região, especialmente se considerarmos o fator logístico de transporte para o Centro-Oeste. Da mesma forma se dará na região Sul. Não acredito que algum proprietário de usina sonhe em vender biodiesel para região Sul se sua fábrica não estiver localizada lá.

Esse sistema de preços diferenciados por região, se implementado nesse leilão 23, ajudaria muito as usinas localizadas na região Sudeste, Norte, e Nordeste e prejudicaria as usinas do Centro-Oeste e em menor escala as do Sul. É uma inversão do que aconteceu nos últimos 22 leilões de biodiesel, quando não se considerava a logística.

A aplicação desse sistema é uma possibilidade e não uma certeza. O novo modelo de leilão apresentado pelo MME está dando bastante trabalho aos técnicos da ANP, que tem trabalhado muito e com seriedade para realizar uma concorrência justa para prevenir a ocorrência de maiores problemas.

Um último detalhe. Dificilmente veremos itens grandes, sequer de 7,5 milhões de litros. Isso porque serão 10 lotes com volume muito menor do que tem sido até então. Assim, para permitir que as usinas consigam vender toda sua capacidade, bem como garantir a participação dos pequenos, é preciso dividir os lotes em vários itens menores. Com essa divisão dos lotes e itens, o 23º leilão de biodiesel da ANP deverá ter a fase de lances mais longa de todos os tempos.

Miguel Angelo Vedana - BiodieselBR.com

Tags: L23