rj ibp nov

Verticalização da cadeia de biodiesel


Univaldo Vedana - 12 nov 2007 - 17:30 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:23

Na seqüência de palestras nesta tarde, Marcos Benzecry, um dos autores do estudo, fez sua explanação sobre a verticalização na produção de biodiesel. Fez-se a análise de uma usina levando em consideração três alternativas. A usina poderia:

1 – comprar o óleo no mercado;
2 – comprar a matéria-prima no mercado;
3 – produzir a matéria-prima e extrair o óleo.

Dessas três alternativas, a que apresentou o melhor resultado foi a terceira situação, que contempla um processo verticalizado, da produção do grão até a produção de biodiesel.

Outro cenário analisado pelo IBP foi a regionalização de matérias-primas para biodiesel. Essa regionalização significa saber onde e quais oleaginosas devem ser produzidas no Brasil para abastecer as usinas. Para exemplificar, segundo o estudo, com o óleo de soja custando R$ 1.300,00 a tonelada, o custo do biodiesel fica em R$ 1,56 o litro. Transportando estes valores para os preços de hoje do mercado brasileiro, se o óleo de soja custar R$ 2.300,00 a tonelada, teremos o custo final do biodiesel a R$ 2,56 por litro.

Durante a explanação também foi mostrado que dependendo do tamanho da usina, o Selo Combustível Social não é recomendado. O motivo são os altos custos para atender as exigências legais de implantação de um programa junto aos pequenos produtores.  Os altos custos de assistência técnica ao pequeno produtor rural exigem grande escala de produção de biodiesel.

Univaldo Vedana

Tags: Eventos