2006

Especial: Os carros alternativos, biodiesel, etanol, híbridos, gás natural e hidrogênio.


2006 - BiodieselBr.com - 12 abr 2006 - 21:14 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:22

Com todo o barulho sobre os carros híbridos nos EUA, o biodiesel e etanol no Brasil e a redução das emissões no mundo, muitos de nós tentamos fazer a coisa certa: Comprar um carro que não aumente nossa dependência pelo petróleo, solte menos CO2 no ar, ajude o meio ambiente e principalmente, que seja barato e nos ajude a economizar. As escolhas estão melhorando, mas ainda é um mercado limitado. Vejamos as opções:

Híbridos

A recente moda dos norte-americanos sobre os automóveis híbridos mostra que as forças de mercado estão se unindo ao ambientalismo. Ter um carro que faz 21 km por litro é bom para economizar e ajuda a consumir menos petróleo.

Híbridos trabalham capturando a energia criada quando os freios do carro são ativados. Aquela energia é armazenada em baterias e usada sempre que possível, no lugar do combustível.

PrósPrius
Rendimento: A Agência de proteção ao meio ambiente dos EUA (EPA) calcula para o Prius da Toyota (modelo popular nos EUA, veja foto ao lado) faz na cidade 25,5 km por litro e 21,5 km por litro na estrada.

Eles são silenciosos, muito silenciosos e oferecem um passeio suave.

Eles andam com gasolina; que é possível encontrar em qualquer lugar.

Contras
Baterias: Há muita especulação sobre a durabilidade das baterias nos carros híbridos, mas o comprador do primeiro Prius da Toyota nos EUA (motorista de táxi) andou quase 290.000 quilômetros sem precisar trocar a bateria, isso é um bom sinal.

Escolha de veículo: Até recentemente nos EUA, só era possível encontrar carros pequenos usando tecnologia híbrida. Os fabricantes reconheceram a popularidade dos híbridos e começaram a fazer utilitários esporte (carros maiores, chamados de SUV pelos norte-americanos) com a tecnologia.

Escape Ford Veículos que precisam de bastante potência (como caminhonetes, caminhões e os utilitários esporte) melhoram o rendimento com tecnologia híbrida. Mas a melhora não é grande coisa, e normalmente o preço desses veículos pesados é muito maior com essa tecnologia. Pare se ter uma idéia, um modelo mais robusto bastante popular na América do Norte, o Escape da Ford (foto ao lado), tem um rendimento na cidade de 9 e na estrada de 12 quilômetros por litro, uma média de 11 km por litro. O mesmo carro sem a tecnologia híbrida faz 5 por litro na cidade e 11 na estrada, uma média de 7 km por litro..

Preço: A diferença de consumo é grande, mas os custos dessa tecnologia, nos carros que exigem mais, é muito grande. Para este modelo da Ford, a diferença de preço do híbrido é de 8,000 dólares.

BioDiesel


Ultimamente existe certa confusão sobre o que é biodiesel, mas é o seguinte: Biodiesel não é óleo vegetal, somente depois que retirar a glicerina do óleo vegetal é que temos biodiesel.

Hoje no Brasil, embora seja muito difícil de encontrar, temos biodiesel sendo vendido nos postos, vendido na forma de B2, 2% de biodiesel e 98% de diesel.

A coisa mais importante que você precisa saber sobre biodiesel é que qualquer motor diesel hoje pode usar biodiesel. É possível alternar entre biodiesel e diesel a qualquer momento, exatamente como acontece com os carros flex, gasolina e álcool.

Existem também pessoas que modificam os motores dieseis para rodar com óleo vegetal direto. Esses vão atrás de restaurantes e pegam toda a gordura das frituras, também compram óleo de cozinha para abastecer suas máquinas, ou com simples extração mecânica de sementes oleaginosas conseguem seu combustível.

Óleo vegetal e biodiesel são animais diferentes na mesma família. Biodiesel causa muito menos incômodo que o óleo vegetal.

Prós
Mais baixas emissões: Quanto mais biodiesel for usado na mistura com o diesel, mais baixo suas emissões.

Versatilidade: Outro benefício para o consumidor é a habilidade para trocar entre diesel e biodiesel sempre que precisar.

Modelos: No Brasil é proibido carros de passeio rodarem com diesel, mas isso tende a mudar uma que vez que as emissões do biodiesel são menores. Os grandes beneficiados no momento seriam os trabalhadores do campo com maquinário movido a diesel.

Custos: O preço do biodiesel B2 vendido em alguns postos pelo Brasil custa apenas alguns centavos mais caro que o diesel, mas a tendência é o preço ficar mais barato, com a melhor tecnologia na produção de biodiesel e o aumento do preço do petróleo.
 
Contras
Emissões: Embora carros com biodiesel emitam menos CO2, eles ainda soltam algumas partículas poluentes. Fabricantes americanos de biodiesel estão pesquisando aditivos que tornarão o biodiesel mais limpo.

Tempo frio: Esteja atento aos problemas de viscosidade em tempos de temperatura baixa. Quanto maior a mistura de biodiesel usada, mais viscoso o combustível se torna em temperaturas muito baixa.

Gás natural

Gás natural é um combustível de queima limpa. Ponto para o ambiente, pois ele colabora para acabar com a poluição. Mas gás natural ainda é um combustível fóssil, resultado da decomposição da matéria orgânica fóssil no interior da Terra. O gás natural é utilizado nos transportes em ônibus e automóveis, substituindo o óleo diesel, a gasolina e o álcool.

Prós
Preços de combustível: O custo de GNV (gás natural veicular) é tradicionalmente mais barato que outros combustíveis. Por isso que muitas pessoas estão escolhendo o GNV. Dependendo do veículo e da região, a economia proporcionada pelo GNV em relação à gasolina pode chegar a 65% por quilômetro rodado.

Longevidade: A durabilidade dos carros é maior que os a gasolina tradicionais porque é combustível de queima limpa.

Contras
Opções: Os veículos não saem de fábrica com essa opção é preciso ir a uma oficina fazer a conversão. Mas aos poucos algumas montadoras começam a oferecer algumas opções com GNV. O preço de conversão de veículos flex para uso de gás natural varia em torno de R$ 2,5 mil.

Distância: O gás natural tem o volume duas vezes maior que a gasolina (Precisa do dobro do espaço da gasolina para ser equivalente em eficiência), um tanque cheio de GNV não te levará tão longe quanto um tanque cheio de gasolina.

Política: O governo já sinalizou que a prioridade do gás irá para as indústrias e as térmicas, e não para o GNV.

Bolívia: A estatal boliviana YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscais Bolivianos) controla boa parte do gás natural que chega no Brasil, assim novas altas de preço aplicadas pela estatal boliviana (como a que aconteceu no começo do ano), influem no preço aqui no Brasil.

Postos: Os locais para abastecimento de GNV não são muito comuns, mas em cidades grandes não é difícil encontrar um posto que disponibilize o GNV.

Se você quer saber se em sua cidade possui algum posto de GNV de uma olhada no site:
http://maplink.uol.com.br/gnv/index.htm

Etanol

Etanol é um combustível feito principalmente através da cana de açúcar. Nos EUA é utilizado bastante na forma E85; é uma mistura de 85% de etanol e 15% de gasolina. No Brasil este combustível é largamente utilizado e possui um alto balanço energético, estudos indicam que para cada unidade de energia investida, são produzidas cerca de 8,3 unidades de energia renovável. O preço desse combustível é mais barato que a gasolina, porém seu rendimento é menor, principalmente nos carros bi combustível. O Etanol é um excelente combustível alternativo: é produzido inteiramente aqui no Brasil, renovável e ainda reduz as emissões.

Prós
Versatilidade: Os veículos bi combustível permitem usar álcool ou gasolina em qualquer proporção. A sua única preocupação ao chegar no posto deve ser o preço.

Preço: O preço do etanol, como mencionado acima, é menor que o da gasolina.

Escolha do carro: A variedade de carros disponível é grande. Os fabricantes abraçaram a tecnologia bi combustível e é possível encontrar muitas opções de modelos que rodam com etanol e gasolina.
 
Contras
Rendimento: Embora os preços sejam mais baixos que a gasolina, o rendimento nos modelos Flex é menor. Na hora de abastecer divida o preço do álcool pelo preço da gasolina. Multiplique o resultado por 100. Se o resultado for menor que 70, não pense duas vezes, encha o tanque de álcool.

Usineiros: A produção está nas mãos dos usineiros, e os preços estão sujeitos a variação de acordo com a capacidade de produção. Em março de 2006 os preços tiveram a maior elevação mensal dos últimos três anos.

Carros verdadeiramente a álcool: No Brasil o país que lançou a tecnologia do motor a álcool, não é possível encontrar um só carro zero com motor a álcool. Bicombustível tem em todo lugar, mas o que apresenta o melhor rendimento são os carros com motores exclusivamente a álcool.

Hidrogênio

Muito exagero foi feito sobre os carros de hidrogênio. A realidade é que eles não estão acontecendo agora e ainda vão demorar a acontecer. Não existe nenhum modo viável de se fazer combustível de hidrogênio sem converter combustíveis fósseis, nenhuma infra-estrutura, e nenhum fabricante planeja uma linha de veículos de hidrogênio.

O plano do governo brasileiro para o hidrogênio não prevê nada de concreto para o consumidor até 2020.

Combustíveis do futuro

Eletricidade
Prós: A maior vantagem em relação aos motores a combustão interna é que não emite gases poluentes e sua recarga poder ser feita em uma tomada enquanto o veículo está estacionado, a baixo custo.

Contras: O peso das baterias, o elevado tempo para a recarga completa e a pequena autonomia dos veículos. Carros híbridos podem atenuar esses problemas. Há também a preocupação com o aumento e o tipo de geração de energia elétrica 

Biocombustível
Prós: É uma fonte de energia renovável e mais limpa que os correspondentes fósseis. Aproveita a tecnologia já existente dos motores.

Contras: A agroenergia é sujeita às variações de clima, pragas e sazonalidade, com oscilação de preços. Há que considerar a potencial disputa de terras com culturas alimentícias e o avanço sobre florestas

BTL
Prós: Boa quantidade de matéria-prima disponível, baixa emissão de CO2

Contras: Necessita de grandes investimentos em tecnologia. Alternativa para o longo prazo

GTL
Prós: Tecnologia já existente, zero emissões de enxofre, boa eficiência nos motores

Contras: Necessita de altos investimentos em refinarias

Hidrogênio
Prós: Não polui. O resíduo descartado pelo escapamento é apenas água

Contras: O armazenamento. É um gás muito leve e precisa ser comprimido a pressões elevadas, o que consome energia. Outra preocupação é com a geração de hidrogênio, a tecnologia dos veículos e a rede de distribuição, ambas muito caras.

Fonte: BiodieselBR.com
Adaptação de ABC news Buying an Eco-Friendly Car.